Ano Ímpar › 09/07/2019

Terça – Feira 14ª Semana Comum – Ano Impar 09/07/2019


Amados irmãos e irmãs
“Vendo a multidão, ficou tomado de compaixão, porque estava enfraquecida e abatida como ovelhas sem pastor”. A multidão representa toda a humanidade e em especial nos dias de hoje a humanidade está espiritualmente enfraquecida e abatida, muitos são os que se perdem e não sabem para onde ir; pois perderam o sentido da vida.
A Igreja como Jesus, deve ser movida pela compaixão ás pessoas, uma Igreja formada por operários que somos nós e cuja missão primeira é anunciar o evangelho com a vida e se preciso for usar palavras como dizia são Francisco.
Somos convidados a ter compaixão que significa sofrer junto com o outro, caminhar com o outro, estar do lado dos que sofrem.
Se nada podemos fazer por algum tipo de limitação física ou outra pelos menos devemos rezar ao Senhor da messe para que envie operários.
O demônio foi expulso e o mudo falou. O que significa isto: Significa que muitos demônios prendem a língua dos filhos de Deus impedindo que eles anunciem a Boa Nova; porém ao serem libertados anunciam o reino de Deus para admiração e alegria de muitos. Por onde passa, Jesus vai libertando o ser humano de seus males e ainda hoje Ele é nossa única fonte de libertação.
Os fariseus acusavam Jesus de “expulsar os demônios pelo poder do príncipe dos demônios” e hoje somos convidados a olhar para quantos missionários e missionárias são acusados de estar a serviço do mal quando na verdade simplesmente estão a denunciar a injustiça social.
Na leitura do livro do Gênesis vemos a luta de Jacó pela benção que busca e em especial a mudança de seu nome que desde então passa a ser chamado de Israel. O novo nome ou outro nome significa acima de tudo um novo homem que deixa para traz o homem velho. Também somos chamados a refletir sobre nossa luta pela benção em nossa vida. É uma luta árdua e incessante que travamos no dia a dia para nos mantermos fiéis e perseverantes.

Rezemos com o Salmista: Eu vos chamo, ó Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me! Mostrai-me vosso amor maravilhoso, vós que salvais e libertais do inimigo quem procura a proteção junto de vós. Protegei-me qual dos olhos a pupila, e guardai-me à proteção de vossas asas. Mas eu verei justificado, a vossa face e, ao despertar, me saciará vossa presença. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Gênesis 32,23-33
Salmo: 16/17
Evangelho: Mateus 9, 32-38

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *