Ano Ímpar › 24/03/2017

Sexta Feira – 3ª. Semana da Quaresma

17457459_1259996207418935_8373496625928601021_nAmados irmãos e irmãs
“Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Outro mandamento maior do que este não existe”.
Amar a Deus de todo o coração e de toda a alma com todas as forças e amar o próximo como a si mesmo, excede a todos os holocaustos e sacrifícios.
Jesus está hoje a nos ensinar que de nada adianta novenas, reza de terço, peregrinações em romarias, mil ave Maria, participação em grupo de oração, grupo de jovens, pagar dizimo, etc. Nada adianta se não houver AMOR!
Os judeus tinham tantos mandamentos a serem observados (613)
Que o amor era como que sufocado e nós quando somos chamados a olhar para os dez mandamentos de Deus e os cinco da Igreja vamos ver que se observarmos o evangelho de hoje estaremos cumprindo todos.
Quem ama a Deus de todo o coração vai a missa confessa e comunga não só uma vez por ano, mas quantas vezes for possível e acima de tudo com prazer ira ajudar a manter a Casa de Deus.
Quem ama o próximo como a si mesmo não vai matar, roubar, furtar, adulterar, estuprar, etc.
O amor sem medidas para com Deus, em primeiro lugar, e o amor ao próximo que é tão importante quanto o primeiro, e que, no dizer de Jesus, não há nenhum outro que supere esses dois.
È impossível viver um sem o outro, pois quem ama a Deus é impelido a amar os irmãos e ninguém consegue amar o irmão se não for por Deus.
No amor o extremismo que leva ao fanatismo não prospera. O verdadeiro cristão não minimiza e nem maximiza a importância da lei. Quem supervaloriza a lei esquece-se do amor e do perdão ao passo que quem desvaloriza a lei também se esquece do amor, pois deixa fazer o quer e até mesmo o que prejudica.
Vivemos em uma sociedade que até conhece e crê em Jesus, mas que dificilmente concorda com a sua Palavra.
Tem muito discurso do tipo ti amo Jesus, I Love you, mas que é somente aparência e fachada. Dizem que amam Jesus, mas levantam a bandeira do aborto, da eutanásia, da pena de morte, do divórcio, ou seja, de tudo quanto é contra os ensinamentos de Jesus. Ama o próximo, mas o próximo está morrendo de fome ou doente e nós não estamos nem aí.
Santo António de Pádua, franciscano e doutor da Igreja nos Sermões para o domingo e as festas dos santos nos ensina: “ Amarás o Senhor teu Deus.” “Teu” Deus, está dito, e esta é uma razão para amar mais; gostamos mais do que nos pertence do que daquilo que nos é estranho. É certo, o Senhor teu Deus merece ser amado; Ele tornou-Se teu servo, para que tu Lhe pertenças e não te envergonhes de servi-lo. Durante trinta anos, o teu Deus tornou-se teu servo por causa dos teus pecados, para te arrancar da escravidão do diabo. Portanto, amarás o Senhor teu Deus. Aquele que te fez; fez-se teu servo por ti; ele se deu por inteiro, para que tu te dês a ti mesmo. Quando eras infeliz, Ele refez a tua felicidade, deu-se a ti para que tu te reentregues a ti mesmo.
Portanto, amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração. Todo: não podes guardar nenhuma parte para ti. Ele quer a oferta total de ti próprio; comprou-te por inteiro, para te ter para si por inteiro. Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração. Não guardes uma parte de ti mesmo, como Ananias e Safira, porque de outra maneira poderias morrer como eles (At 5,1 s). Portanto, ama totalmente e não em parte. Porque Deus não tem partes, está inteiramente em toda a parte. E não deseja partilhar o teu ser, Ele que está por inteiro no seu ser. Se reservas uma parte de ti mesmo, és teu, e não dele.
Portanto, queres possuir tudo? Dá-lhe o que és, e Ele te dará o que é. E não mais terás nada de teu; mas tê-lo-ás a Ele inteiramente contigo.
Na 1ª. Carta de João 4, 8; o apostolo diz: Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Quem diz que ama a Deus que não vê, mas não ama o irmão que vê é mentiroso.
O profeta Oséias nos diz: “os caminhos do Senhor são retos. Os justos andam por eles, mas os pecadores neles tropeçam! Volta Israel, ao Senhor teu Deus, porque foi teu pecado que te fez cair”.
Quando pecamos voltamos ao Senhor o mais rápido possível ou ficamos dando um “tempinho”?
Rezemos com o Salmista: Em teu meio não exista um deus estranho, nem adores a um deus desconhecido! Porque eu sou o teu Deus e teu Senhor, que da terra do Egito te arranquei. Quem me dera que meu povo me escutasse! Que Israel andasse sempre em meus caminhos. Eu lhe daria de comer a flor do trigo e com o mel que sai da rocha o fartaria.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Oséias 14,2-10
Salmo: 80/81
Evangelho: Marcos 12,28-34

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *