Ano Ímpar › 03/11/2017

Sexta Feira – 30ª. Semana Comum

Amados irmãos e irmãs23167935_1483295198422367_3319224960396181810_n
“ Qual de vós que, se lhe cair o jumento ou o boi num poço, não o tira imediatamente, mesmo em dia de sábado? ”Ao fazer uma cura em dia de sábado, justo na casa de um Fariseu importante. Jesus dá o recado: não veio fazer a vontade do mundo mas a do Pai. A pergunta de Jesus merecia uma resposta, mas e a coragem para responder?
Jesus curou um hidrópico, mas o que é um hidrópico? Esta palavra no latim “hydropicu” e do grego “hydropikós” significa aquele que sofre de hidropisia. Pessoa que por morbidez ou outras causas, acumula líquidos em qualquer parte do corpo. Mais comum no abdome, podendo gerar insuficiência renal ou cardíaca. Parte dos comentaristas bíblicos traduz esta enfermidade como barriga d’água.
Imaginemos nos dias atuais uma reunião de agentes de pastorais na casa do coordenador onde se discutisse quem poderia ser batizado, o caso da mãe solteira, da segunda união, as amizades com pessoas de outras religiões e de repente entra Jesus. Vejam que as vezes estarmos diante de situações onde, na maioria das vezes priorizamos a Lei, a linha Pastoral e esquecemos do mais importante: acolher as pessoas, de ouvir e de anunciar Jesus e seu Reino de amor.
Muitas vezes usamos todo rigor para aplicar a Lei ao outro, mas quando for para o meu interesse, a lei sempre é mais branda, sempre se dá um jeitinho brasileiro. Essa forma de observar a lei fazia com que se esquecessem do essencial: o amor a Deus e impedia de olhar para os outros com misericórdia e compreender: “É misericórdia que eu quero, não sacrifícios”.
Jesus não comungava com o exagero deles e não comungaria com certos exageros nos dias atuais. Citaremos como exemplo os dois extremos de exageros que muitas vezes observamos dentro de nossas comunidades. Um tipo de exagero é de achar que já somos santos e querer desprezar nossa humanidade, isto tem levado muitas pessoas a um radicalismo louco a ponto de querer excluir da comunidade qualquer pessoa que tenha cometido pecado. O outro exagero é o de achar que tudo pode e nada é pecado e aí a bagunça fica generalizada.
Na leitura da carta de são Paulo aos Romanos o apóstolo nos ensina que sente grande pesar e amargura no coração; uma vez que por amor de seus irmãos gostaria de estar separado. Cristo descende dos patriarcas
Rezemos com o Salmista: Glorifica o Senhor, Jerusalém! Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! Pois reforçou com segurança as tuas portas, e os teus filhos em teu seio abençoou. Nenhum povo recebeu tanto carinho, a nenhum outro revelou os seus preceitos. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Romanos 9,1-5
Salmo: 147
Evangelho: Lucas 14,1-6

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *