Ano Ímpar › 24/07/2017

Segunda Feira – 16ª. Semana Comum

Amados irmãos e irmãssegunda
Mestre, quiséramos ver-te fazer um milagre. Respondeu-lhes Jesus: Esta geração adúltera e perversa pede um sinal, mas não lhe será dado outro sinal do que aquele do profeta Jonas.
O evangelho nos mostra de onde vem a Fé enquanto espetáculo, de milagres assombrosos que atraem cada vez mais clientes que pagam e por isto se sentem no direito de exigir de Deus. Jesus se torna um produto valioso, será mera coincidência com algumas denominações de hoje, pois ainda há multidões que buscam, não a Jesus, o Salvador, mas apenas os milagres e curas que ele realiza.
O milagre que Ele Jesus quer realizar é a antecipação da Vida Nova em sua plenitude, por isso Ele coloca como prefiguração da ressurreição o fato do Profeta Jonas permanecer três dias no ventre de uma baleia, mas não foi isso que converteu os habitantes de Nínive, mas sim o fato de ouvirem e darem crédito à sua pregação e a partir daí terem feito a penitência buscando a conversão sincera. De nada adianta apregoar que creio na ressurreição se não converto o meu coração na prática do amor e da justiça.
Exigir de Deus sinais extraordinários, como se Ele estivesse pronto a satisfazer nossos caprichos nada acrescentará a nossa fé. Deus quer ajudar-nos a crescer e não pretende que queimemos etapas, mas que nos preocupemos em amadurecer na fé e na relação com Ele.
Na leitura do livro do Êxodo vemos a travessia do Mar Vermelho e não devemos entendê-la puramente na ótica geográfica e sim como mudança da condição de escravos à condição de homens livres. Ao se aproximar do mar eles se sentiram encurralados e o medo fez com que murmurassem contra quem os libertou e expressaram o desejo de regressar a condição de escravo. Moisés os exorta a confiar em Deus e não terem medo. Deus entra em ação e Moisés levantando a vara sobre o mar vê este se abrir e o povo passar a pé enxuto. Lembremos aqui de quantas vezes também nós após sermos libertos por Jesus diante da primeira dificuldade temos a tentação de querer voltar ao pecado julgando que estava melhor.
Rezemos com o Salmista: Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória: precipitou no mar Vermelho o cavalo e o cavaleiro! O Senhor é a minha força, é a razão do meu cantar, pois foi ele neste dia para mim libertação! Ele é meu Deus e o louvarei, Deus de meu pai e o honrarei. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Êx 14,5-18
Salmo: Ex 15, 1-6
Evangelho: Mateus 12,38-42

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *