Ano C, Ano Ímpar › 12/01/2019

Sábado – Semana Epifania

Amados irmãos 
ALEGRAR SE COM O SUCESSO ALHEIO!
Num mundo relativizado e hedonista soa estranho a frase acima, mas ela traduz todo um sentimento cristão que abomina a inveja e o ciúme.
João não ficou enciumado de que Jesus estivesse batizando.
Em nossas comunidades é muito comum quando um irmão começa a fazer algo que outro já fazia surgir intrigas e ciumeiras.
Todo aquele que trabalha no anuncio de Jesus deve se dar conta de que deve atrair pessoas para Jesus e não para si.
Queremos aqui abrir um parêntesis especial para uma turma que amamos muito e que sabemos ser um alvo fácil de ataques de todos os lados. Falo do pessoal da música em nossas celebrações, pois enquanto alguns são tentados a fazer da missa um show ao passo que outros são incompreendidos pelas equipes de celebração quando quer fazer o correto. Infelizmente há uma disputa entre os diversos ministérios e suas espiritualidades.
Não podemos permitir que uma paróquia fique disputando com a outra qual missa tem mais fiéis,onde tem maior número de batizados,casamentos,crismas,etc.
Conheço histórias onde uma paróquia marcou evento bem no horário que a outra paróquia já tinha uma festa tradicional e centenária só para atrapalhar, ou seja, não permitir que seus membros fossem visitar a outra paróquia.
A Igreja é uma só meus irmãos! Uma grande lição sobre isto eu aprendi com nosso saudoso arcebispo Dom Joviano; pois certa vez diante de uma vocação sacerdotal que poderia ir para outra diocese eu disse a Dom Joviano que perderíamos aquela vocação ao que ele com toda sabedoria de pastor me respondeu: A Igreja não perde irmão Francisco; pois o importante é que ele seja padre da Igreja não importando em que diocese.
Na carta de João nos é dito que toda iniquidade é pecado, mas há pecado que não leva à morte. Eis aqui irmãos a chave para confirmar a doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana sobre os pecados mortais e veniais, ou seja, os pecados não são todos iguais como querem alguns ao dizer que se pecou tanto faz ser leve ou grave o castigo é o mesmo. Não é isto que a Igreja ensina e também pode ser chave para a difícil compreensão do purgatório.
Rezemos com o salmista: Alegre-se Israel em quem o fez, e Sião se rejubile no seu rei! Com danças glorifiquem o seu nome, toquem harpa e tambor em sua honra! Porque, de fato, o Senhor ama seu povo e coroa com vitória os seus humildes. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: 1 João 5,14-21
Salmo: 149
Evangelho: João 3,22-30

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *