Ano Ímpar › 24/04/2017

Sábado Oitava da Páscoa

18057870_1294127434005812_6437851899725023488_nAmados irmãos e irmãs
“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”. Diante de tal afirmativa de Jesus não há mais o que discutir em relação a nossa missão de anunciar o Evangelho.
Esta página do Evangelho de Marcos narra o que ouvimos durante esta oitava pelos escritos de Lucas. Ele fala da primeira aparição a Maria de Magdala, da segunda aos discípulos de Emaús e da terceira aos apóstolos no cenáculo. Ao final nos é dado o mandamento de pregar o Evangelho a toda a criatura e isto sem fazer acepção alguma de pessoas já que conforme as palavras do próprio Cristo é: a toda criatura”.
No entusiasmo de Madalena e dos discípulos de Emaús que tiveram um encontro pessoal com o ressuscitado contrasta a incredulidade dos demais e por isso Jesus fala em dureza do coração; mas aqueles que tiveram o encontro, que experimentaram a presença real; é como que impelido a anunciar não se importando com a resposta de quem ouve.
Que sirva de lição para nós que às vezes julgamos sermos bons pregadores e ficamos a questionar a assembléia para que dê resposta; ou então se o público é pequeno o entusiasmo diminui, etc. Lembre que isto não pode ser de Deus; pois aquele que fez a experiência do encontro com o ressuscitado/crucificado jamais perde o entusiasmo mesmo que sua assembleia se resuma a uma pessoa ou como no caso de Santo Antônio seja ela formada por peixes.
O Papa Francisco na Exortação apostólica “Evangelii Gaudium/A alegria do evangelho” §§19-nos ensina que a evangelização obedece ao mandato missionário de Jesus: Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado (Mt 28,19-20). O Ressuscitado envia os seus a pregar o Evangelho em todos os tempos e lugares, para que a fé nele se estenda a todos os cantos da terra.
Na Palavra de Deus, aparece constantemente este dinamismo de saída, que Deus quer provocar nos crentes. Abraão aceitou a chamada para partir rumo a uma nova terra (cf Gn 12,1-3). Moisés ouviu a chamada de Deus: Vai; Eu te envio (Ex 3,10), e fez sair o povo para a terra prometida (cf Ex 3,17). A Jeremias disse: Irás aonde Eu te enviar (Jr 1, 7). Todos somos chamados a esta nova saída missionária. Cada cristão e cada comunidade há de discernir qual é o caminho que o Senhor lhe pede, mas todos somos convidados a aceitar esta chamada: a sair da própria comodidade e a ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho.
A alegria do Evangelho, que enche a vida da comunidade dos discípulos, é uma alegria missionária. Experimentam-na os setenta e dois discípulos, que voltam da missão cheios de alegria (cf Lc 10,17). Vive-a Jesus, que exulta de alegria no Espírito Santo. Esta alegria é um sinal de que o Evangelho foi anunciado e está a frutificar. Mas contém sempre a dinâmica do êxodo e do dom, de sair de si mesmo, de caminhar e de semear sempre de novo, sempre mais além. O Senhor diz: Vamos para outra parte, para as aldeias vizinhas, a fim de pregar aí, pois foi para isso que Eu vim (Mc 1,38). Fiel ao modelo do Mestre, é vital que hoje a Igreja saia para anunciar o Evangelho a todos, em todos os lugares, em todas as ocasiões, sem demora, sem repugnâncias e sem medo.
Na leitura de Atos temos um fato interessante, ou seja, por serem Pedro e João homens sem muita instrução julgavam que seria fácil convencê-los a deixar de falar de Jesus; mas isto foi um grande engano, pois eles ordenaram a Pedro e João que não falassem e nem ensinassem em nome de Jesus, mas os dois responderam: “Julgai-o vós mesmos se é justo diante de Deus obedecer a vós mais do que a Deus”. Quando o mundo nos mandar agir contra a vontade de Deus que tenhamos a coragem de João e Pedro de responder ao mundo que devemos obediência a Deus e não ao mundo.
Rezemos com o Salmista: A mão direita do Senhor fez maravilhas. O Senhor severamente me provou, mas não me abandonou às mãos da morte. Abri-me vós, abri-me as portas da justiça; quero entrar para dar graças ao Senhor! “Sim, esta é a porta do Senhor, por ela só os justos entrarão!” Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes, e vos tornastes para mim o salvador! Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Atos 4,13-21
Salmo: 118
Evangelho: Marcos 16,9-15

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *