Ano Ímpar › 18/11/2017

Sábado – 32ª. Semana comum

23319204_1488837161201504_9076164369568047757_nAmados irmãos e irmãs
“Por acaso não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que estão clamando por ele dia e noite? Porventura tardará em socorrê-los”?
Esta parábola visa mostrar a opressão contra os fracos; vinda daqueles que estão no poder, não temem a Deus e nem respeitam os irmãos. Enfatiza a importância da perseverança nas súplicas e ressalta o cuidado de Deus para com os seus escolhidos, Ele não abandona os que ele escolheu; é ele quem os socorre e defende. Diante do clamor do pobre e do pequeno, Deus não permanece insensível e faz justiça a favor dele. Porém se nas nossas súplicas não houver um desejo sincero de comprometer-se com o Reino que Jesus inaugurou, com os pobres e pequenos, se for ela uma oração egoísta de conveniências e interesses, dificilmente seremos atendidos…
Se Deus “não nos atender” é para o nosso bem maior, pois Deus sabe muito bem de nossas necessidades; Ele não vai nos dar o que for para prejudicar. Imaginem que um filho de 16 anos peça o carro emprestado ao pai; o pai obviamente não vai atender, pois o filho é menor e não tem carteira de habilitação ou então um filho diabético que pede doce e assim por diante.
Quem sabe viver bem, sabe rezar como convém. É o famoso orar o que vive e viver o que ora!
Neste Evangelho Jesus quer nos mostrar a necessidade de rezar sempre, e nunca desistir.
São três as razões porque devemos ser perseverantes nas nossas orações: Primeiro: a bondade e a misericórdia de Deus. Segundo, o amor de Deus por cada um de nós (Deus ama cada um na sua individualidade). Terceiro, o interesse que nos mostramos perseverantes na oração.
Na leitura do livro da Sabedoria vemos que a obediência faz com que sejamos remodelados em nossa natureza e nos conservemos ilesos nas tribulações. A mão poderosa do Senhor vem em nosso socorro assim como no mar vermelho ela formou um caminho viável ainda hoje Ela quer nos conduzir por caminhos seguros e em verdejantes campos.
Rezemos com o Salmista: Lembrai-vos sempre as maravilhas do Senhor! Cantai, entoai salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas! Gloriai-vos em seu nome que é santo, exulte o coração que busca a Deus! Ele lembrou-se de seu santo juramento, que fizera a Abraão, seu servidor. Fez sair com grande júbilo o seu povo, e seus eleitos, entre gritos de alegria. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Sabedoria 18,14-16; 19,6-9
Salmo: 104/105
Evangelho: Lucas 18,1-8

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *