Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 05/11/2016

Sábado – 31ª. Semana Comum

14908366_1116461245105766_3043123729584191164_nAmados irmãos e irmãs
Quem rouba um, rouba um milhão!
Este é um velho ditado popular que trago hoje para mostrar que Jesus quer nos dizer que não seremos capazes de fidelidade nas grandes coisas se nem nas pequenas somos fiéis. Há uma linda canção que diz: Se sou fiel no pouco, Ele me confiará mais!
Uma pergunta que não quer calar: Se São Lourenço disse que os bens da Igreja são os pobres e pequeninos, como é que estes estão sendo tratados? Como tratamos os pequeninos da igreja em relação aos grandes? Fazemos acepção de pessoas levando em consideração sua situação financeira ou somos coerentes entre o que celebramos e o que vivemos. Em liturgia temos uma grande lição qual seja: É preciso celebrar o que vivemos e viver o que celebramos.
Cremos que nisto consiste a fidelidade que Jesus quer de cada um de nós, ou seja, servir somente a Ele; pois nenhum servo pode servir a dois senhores: ou há de odiar a um e amar o outro; isto é quem quer servir ao dinheiro com certeza vai deixando de lado o plano de Deus. O cristão deve se servir do dinheiro para aplicá-lo nas obras do bem para que o reino de Deus aconteça e não servir ao dinheiro, tornando se escravo dele.
O que Paulo diz aos filipenses é que o apoio material ao missionário é necessário e isto pode ser em forma de dinheiro e ele embora se contente com o que tem sabe viver em qualquer circunstância; isto é tanto na abundancia como na penúria.
O importante é que em nenhuma das duas situações o missionário deve desistir; pois alguns nos momentos de penúria desanimam e abandonam a obra ao passo que outros na abundância julgam não mais necessitar de Deus e assim também abandonam.
Uma pérola de Paulo é quando ele diz: O apoio material foi um suave perfume, um sacrifício que Deus aceita com agrado; portanto quando formos dar nossa oferta ou nosso dízimo lembremos que eles podem ser o perfume que sobe aos céus no apoio que a Igreja de Jesus Cristo e seus missionários tanto precisam para fazer o reino acontecer. Lembremos sempre: Tudo podemos naquele que nos fortalece.
Rezemos com o salmista: Senhor nosso coração está tranquilo e nada teme e confusos estão nossos inimigos; pois o Senhor repartiu com os pobres os seus bens e o bem que nos faz há de permanecer eternamente. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: Filipenses 4,10-19
Salmo: 112
Evangelho: Lucas 16,9-15

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *