Ano Ímpar › 21/01/2017

Sábado – 2ª. Semana comum

16195244_1196273347124555_2205359698101122212_nAmados irmãos e irmãs
“Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe”.
Com certeza assim como Jesus você também deve ter aqueles amigos mais íntimos que seriam João, Tiago e Pedro a quem você confia todos os seus segredos; teria também aqueles que embora não tão íntimos fazem parte do seu dia a dia, ou seja, no caso de Jesus os doze e ainda restaria aqueles que são amigos e participam e aí estaríamos diante destes setenta e dois que o Evangelho nos fala.
Dias destes uma vocacionada da CMDM me perguntou o que teria que levar para vir morar na comunidade e eu lhe respondi leve aquilo que o Evangelho diz ou seja o necessário e nada mais. É isto que o Evangelho nos ensina hoje e ainda mais: vais sofrer muito e embora eu não queira perder mais esta vocação eu não posso te mentir dizendo que será um mar de rosas, mas sim devo te dizer que será muito difícil assim como Jesus disse: “Eu vos envio como cordeiros no meio de lobos”.
A pergunta que se faz é se estamos preparados para suportar os contratempos da missão como por exemplo os fracassos, as perseguições e tantas coisa mais.
A verdade é que os verdadeiros missionários terão muito mais dissabores do que momentos de glória.
O missionário deve estar predisposto a viver na pobreza, a adaptar-se a qualquer tipo de acolhida que lhe for oferecida e principalmente estar disposto a partilhar a vida de quem o acolhe.
O missionário por vezes está comendo arroz e abobrinha pensando na mesa de sua casa com bife e saladas diversas, ele dorme no chão com pernilongos mil lembrando de seu antigo quarto com ar condicionado; falta combustível no seu calhambeque e você se lembra que teu pai é dono de um posto de combustível e por aí vai; realmente não é fácil.
Quem anuncia a paz deve ser portador desta paz que anuncia!
Na carta que Paulo escreve a Timóteo ele diz: quando me vêm ao pensamento as tuas lágrimas, sinto grande desejo de te ver para me encher de alegria. Conservo a lembrança daquela tua fé tão sincera.
Quem de nós nos dias de hoje dirige tais palavras a um amigo? Isto faz falta meus irmãos no convívio nas nossas comunidades; irmãos que se amem. O apostolo continua a dizer: Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, seu prisioneiro, mas sofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus.
E aí somos obrigados a perguntar pelas vezes em que temos vergonha de irmãos nossos que sofrem por causa do Evangelho; das quantas vezes temos vergonha de dizer que somos amigos de cristãos católicos que passam por situações difíceis.
Rezemos com o Salmista: Ó família das nações, dai ao Senhor, nações, dai ao Senhor poder e glória, dai-lhe a glória que é devida ao seu nome! Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!” Amém

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: 2 Timóteo 1,1-8
Salmo: 96
Evangelho: Lucas 10,1-9

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *