Ano Par › 03/09/2016

Sábado – 22ª. Semana Comum

14203330_1061609690590922_8456268936705511198_nAmados irmãos e irmãs
“O Filho do Homem é Senhor também do sábado”.
Poderíamos diante deste Evangelho colocar como tema central a fome. Quantos hoje não passam fome por causa de normas e regras. Aqui na comunidade nós acolhemos peregrinos dos mais diversos lugares e que aqui chegam necessitando de uma passagem rodoviária para seguir viagem; mas antes um bom banho, um prato de comida e uma cama para repousar. Jesus neste Evangelho estava na mesma situação de peregrino e por ser sábado ninguém preparava comida (tinham preparado na véspera).
Nós na Comunidade Missionária Divina Misericórdia evitamos ao máximo colocar exigências antes de atender as necessidades básicas. Muitas pessoas nos criticam dizendo que estamos alimentando “vagabundo”; que antes de darmos comida deveríamos ver os documentos, a cidade de onde é, etc. Nós preferimos ficar com Jesus para quem o homem estava acima destas questiúnculas.
Os fariseus eram tão legalistas quanto à questão sabática que parecem nem ter se preocupado com a questão de quem era o proprietário da lavoura de milho. Esqueceram-se da fome e da propriedade da lavoura para ferrenhamente criticar Jesus e os apóstolos por causa da observância do sábado.
Hoje parece não ser muito diferente quando vemos milhares de pessoas na África (Etiópia e Somália) morrerem de fome enquanto os fariseus modernos se reúnem no ar condicionado da ONU (Organização das Nações Unidas) para decidir como enviar alimentos; a burocracia emperra tudo e olha que não precisamos ir longe; pois nós da Comunidade Missionária Divina Misericórdia somos testemunhas oculares dos milhares de toneladas de grãos (feijão, arroz, milho, soja, etc.) que estragam (caruncham) nos galpões da famigerada CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento); enquanto sabemos que no sertão nordestino tem muita gente comendo fubá com água.
Na leitura da carta aos coríntios Paulo lembra que os apóstolos são amaldiçoados e abençoam; perseguidos e aguentam; caluniados e consolam! Tornam-se como o lixo do mundo e a escória do universo; não para causar vergonha, mas para mostrar o verdadeiro significado da verdadeira paternidade espiritual. O apóstolo é pai e assim deveríamos olhar para os seus sucessores que são os bispos de hoje: são nossos pais!
Rezemos com o Salmista: O Senhor cumpre os desejos dos que o temem, ele escuta os seus clamores e os salva. O Senhor guarda todo aquele que o ama, mas dispersa e extermina os que são ímpios. Amém.

Reflexão feita pelo diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: 1Cor 4,6 -15
Salmo: 144
Evangelho: Lc 6, 1-5

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *