Artigos e reflexões › 19/07/2019

Reflexão: A nova lei não está escrita em Tabuas de Pedras, mas nos corações.


Considerai, meus irmãos, o grande mistério da harmonia e da diferença entre as duas Leis e os dois povos. O povo antigo não celebrava a Páscoa em plena luz, mas na sombra do que havia de vir (Cl 2,17); e, cinquenta dias depois da celebração da Páscoa, Deus deu-lhe a Lei escrita por sua mão no Monte Sinai. Deus desceu ao Monte Sinai no meio do fogo, abalando de pavor o povo que se mantinha ao longe, e escreveu a Lei com o seu dedo, sobre a pedra e não no coração (Ex 31,18). Pelo contrário, quando o Espírito Santo desceu a terra, os discípulos estavam todos juntos no mesmo lugar e, em vez de assustá-los do alto da montanha, Ele entrou na casa onde estavam reunidos (At 2,1s). Houve realmente do alto do céu um barulho parecido com o de um vento violento que se aproxima, mas esse ruído não assustou ninguém. Ouvistes o ruído, vede também o fogo; porque, na montanha, também se evidenciaram estes dois fenômenos: o ruído e fogo. No Monte Sinai, o fogo estava cercado de fumo; aqui, pelo contrário, é de uma claridade brilhante: E apareceu, diz a Escritura, como uma espécie de fogo que se dividia em línguas. Este fogo causou medo? Nem um pouco: E as línguas pousaram sobre cada um deles. Escutai esta língua que fala, e compreendei que é o Espírito que escreve, não sobre a pedra, mas no coração. Portanto, a Lei do Espírito de vida, escrita no coração e não na pedra, esta Lei do Espírito de vida que está em Jesus Cristo, em quem a Páscoa foi celebrada em toda a verdade (1Cor 5, 7), livrou-vos da Lei do pecado e da morte (Rm 8,2). Santo Agostinho (354-430), bispo e doutor da Igreja no Sermão 155, 6

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *