Ano Ímpar › 13/04/2017

Quinta Feira Santa

17862847_1283489185069637_2909110814509723314_nAmados irmãos e irmãs
Como amasse os seus que estavam no mundo, até o extremo os amou.
Jesus se rebaixou no último degrau do ser humano, aniquilou-se e deixou- se esmagar, deu o seu corpo, a Vida e o sangue, até a última gota, lavou-nos não só os pés, mas todo o nosso ser.
O sentido real da praxis Eucarística, que começa com o vexame de um Deus, grandioso e Onipotente, Poderoso, Onipresente e Onisciente, que se abaixa diante do ser humano, para lavar-lhes os pés. Muitas vezes nós como Pedro não aceitamos a idéia de um Deus que se rebaixa e é justamente essa a dificuldade que as vezes temos de ver Jesus nos pobres e excluídos.
“O que faço não compreendes agora, mas compreendê-lo-ás em breve”. Jesus disse isso porque na sua época a tarefa de lavar os pés dos visitantes era do servo e não do senhor da casa e Jesus sendo O Senhor; ao lavar os pés dos discípulos já estava ensinando a nós hoje como deve ser o papel do discípulo missionário do século XXI.
Deus dá uma ordem para Moises; o sangue sobre as casas em que habitais serviria de sinal (de proteção). É a antiga e eterna aliança e nos faz lembrar hoje da nova e eterna aliança onde somos protegidos e cobertos no sangue de Jesus. Por isso cantamos com o salmista: O cálice por nós abençoado é a nossa comunhão com o sangue de Jesus
Na carta de são Paulo aos Coríntios vemos a instituição da Eucaristia Jesus não disse que o pão representava se corpo e nem que o vinho representava seu sangue. Ele disse “Isto é o meu corpo, que é entregue por vós; fazei isto em memória de mim”. Do mesmo modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: “Este cálice é a Nova Aliança no meu sangue; todas as vezes que o beberdes, fazei-o em memória de mim”.
Rezemos com o Salmista: É sentida por demais pelo Senhor a morte de seus santos, seus amigos.Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, mas me quebrastes os grilhões da escravidão! Por isso oferto um sacrifício de louvor, invocando o nome santo do Senhor. Vou cumprir minhas promessas ao Senhor na presença de seu povo reunido. Amem.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Êxodo 12,1-8.11-14
Salmo:116
2ª. Leitura: 1 Coríntios 11,23-26
Evangelho: João 13,1-15

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *