Ano Ímpar › 23/11/2017

Quinta Feira – 33ª. Semana comum

Amados irmãos e irmãs23244457_1488857044532849_656580529161587651_n
Hoje Jesus está chorando sobre a terra!
E Jesus chora porque vê que os cristãos estão sitiados pelos inimigos de todos os matizes e alguns até camuflados. Nossos filhos e filhas estão sendo dizimados nos mais pobres, nos índios, nos negros, enfim que dias são estes? Jesus sabia que aquela glória com que era tratado iria acabar em fracasso e Ele seria esmagado na paixão e morte na cruz e que por um instante ficaria a impressão de que as forças do mal destruíram o bem e o seu Reino de Amor; entretanto da escuridão surgirá a luz definitiva, do fracasso virá a vitória sobre o mal, o amor é mais forte que a morte.
A trágica destruição de Jerusalém e do Templo deve ser associada à rejeição que o poder religioso tinha contra Jesus e é por isto que Ele diz: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados…”. Uma pergunta temos que fazer: E o poder religioso de nossos dias como acolhe a mensagem de Jesus? Com quem este poder religioso se associa?
Em muitos casos podemos responder sem medo de errar que muitos religiosos dos tempos atuais das mais diversas denominações gostam de estar do lado de quem tem poder econômico e político nem que para isto tenha que trair o Evangelho. Dói muito dizer isto, mas a verdade não pode ser escondida.
Nos dias atuais também podemos dizer que o Reino de Deus não está oculto, Ele está diante dos nossos olhos e se manifesta nas comunidades cristãs e em todas as pessoas de bem. É claro que estes últimos fiéis ao Evangelho atrapalham e muito o plano dos primeiros.
Não podemos dizer que não fomos avisados sobre o caos que começa a se instalar e aqui lembro palavras do saudoso Papa Paulo VI que em discurso proferido no dia 7 de dezembro de 1968 disse que “a fumaça de Satanás” tinha penetrado na Igreja por alguma fenda.
No primeiro livro dos Macabeus vemos Matatias e sua família resistir as investidas para que prestem culto a deuses pagãos. Num primeiro momento os enviados do rei para convencê-los prometem benefícios e ao ver que nada conseguem seguem se as ameaças. Matatias é firme em responder: ainda que todos sigam o rei, Matatias e a sua família permanecerão fiéis à aliança. Que bom se os cristãos também começassem a pensar e agir desta forma renunciando as benesses do mundo e sendo fiel ao projeto de Deus.
Rezemos com o Salmista: Imola a Deus um sacrifício de louvor e cumpre os votos que fizeste ao Altíssimo. Invoca-me no dia da angústia, e então te livrarei e hás de louvar-me. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: I Macabeus 2,15-29
Salmo: 49
Evangelho: Lucas 19,41-44

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *