Ano C, Ano Ímpar › 17/01/2019

Quinta Feira – 1ª. Semana Comum

Amados irmãos e irmãs 
Não importa o que acontecer jamais abandone a Deus!
A lepra era incurável e tida como consequência do pecado e assim, o leproso era considerado um maldito, que além da dor física, sofria também a dor moral da exclusão, que doia muito mais.
Se disséssemos que os leprosos de hoje são os presidiários,os soropositivos, os efeminados, os casais em segunda união, os dependentes químicos e as prostitutas; não estaríamos cometendo nenhum erro grave; pois para muitos eles deveriam ser segregados uma vez que se trata de casos perdidos.
Muitos moralistas de plantão estão por aí a propagar que o soropositivo está nesta situação porque teve vida devassa e desregrada esquecendo se de muitos a contraem por outros motivos e assim fazem com todos os demais.
Jesus tem compaixão , ou seja , sofre a paixão junto com o leproso;Ele não poderia sequer se aproximar daquele leproso mas ele quebra normas e não só se aproxima como cura.
Será que nós estamos nos aproximando das prostitutas, dos homossexuais, dos dependentes químicos? Ou será que por medo de ter a reputação arranhada preferimos ficar longe.
Muitos tentam se justificar que se trata de pessoas perigosas e que podem nos fazer mal e aí vem a pergunta: se agirmos com prudencia será que Deus não estaria conosco?
Quando alguém na comunidade questiona sobre este perigo logo respondemos: estamos aqui e não julgamos que sejamos dignos do martírio e quiça ele viesse se frutos nosso testemunho trouxesse.
Por seu turno o leproso nada exige mas apenas diz: se queres podes. Isto nos faz lembrar de alguns pregadores modernos que usando táticas pós modernistas desafiam Deus como que querendo obrigar Deus a fazer milagres e curas com hora marcada.
O fato de Jesus não querer que o fato fosse divulgado demonstra que Ele não estava em busca de fama, mas simplesmente de fazer o bem.
A carta aos hebreus nos ensina para tomar cuidado, para que ninguém perca a fé, a ponto de abandonar o Deus vivo. Não devemos buscar respostas ou explicações outras, mas simplesmente permanecer fiéis a Deus e à sua Igreja.
Rezemos com o salmista: Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: Não fecheis os vossos corações.Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra,e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso pastor e nós somos o seu povo e seu rebanho.Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: Hebreus 3,7-14 
Salmo: 95
Evangelho: Marcos 1,40-45

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *