Ano Ímpar › 22/06/2017

Quinta Feira – 11ª. Semana comum

19399180_1354960721255816_2446200509459532541_nAmados irmãos e irmãs
Orar é falar com Deus! Falar na intimidade;portanto é impossível fazer uma oração sincera se não conhecermos Deus;claro que na plenitude jamais o conheceremos nesta vida terrena.
Você já imaginou conversar na intimidade com uma pessoa que você não conhece ; convenhamos que fica difícil. Não dá para falar detalhes sobre nossas dificuldades,fraquezas e do nosso amor para alguém que não conhecemos.
Se tudo isto não for observado não estaremos fazendo oração e sim discurso ou oratória que pode até ser bonita e emocionar;mas será totalmente vazia.
Só a oração do coração humilde toca o coração de Deus e no caso da oração do Pai nosso o mais bonito é que foi o próprio Jesus que nos ensinou. Nela mostramos nossa intimidade ao chamar Deus de Pai;nos colocamos a disposição para fazer o reino acontecer.
A oração do Pai nosso fala da relação vertical,horizontal e interior. Vertical quando nos dirigimos ao pai;horizontal quando nos dirigimos aos irmãos ( assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido) e interior quando nos voltamos a nós mesmos ( perdoai as nossas ofensas…;não nos deixei cair em tentação e livrai nos do mal…)
São sete pedidos e sete é a totalidade.
Pão nosso não é pão meu;pão nosso é pão partilhado;é pão de todos; pão do amor;da justiça e da solidariedade.
Livrai-nos do inimigo é não permitir que este inimigo nos roube o pão da vida; o pão do céu que nos alimenta e nos mantém na caminhada enquanto Igreja peregrina.
Na segunda carta aos coríntios, o apóstolo Paulo faz uma severa crítica aos que usam de fraude para anunciar o Evangelho e ele os chama de super apóstolos. Parte da comunidade de Corinto se encantava com estes super apóstolos e por isto Paulo os repreende por se deixar levar pela novidade. Em nossos dias quantos não são os que usam do tecnicismo e de ferramentas mil para convencer as pessoas. É como se a Palavra não mais tivesse poder. O que encanta são as novas tecnologias. Tomemos cuidado para não sermos atraídos por iscas este tipo.
Rezemos com o Salmista: Eu agradeço a Deus de todo o coração, que beleza e esplendor são os seus feitos! Sua justiça permanece eternamente! O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas.Suas obras são verdade e são justiça, seus preceitos, todos eles, são estáveis, confirmados para sempre e pelos séculos, realizados na verdade e retidão. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: 2 Coríntios 11,1-11
Salmo: 110/111
Evangelho: Mateus 6,7-15

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *