Highslide for Wordpress Plugin
Ano C, Ano Ímpar › 16/01/2019

Quarta Feira – 1ª. Semana Comum

Amados irmãos e irmãs 
O perigo do populismo é que às vezes ele nos leva a sentar em cima de uma suposta vantagem. Jesus não ficou a colher louros das curas e milagres que fez ,mas sim disse que precisaria ir às aldeias vizinhas, para que pregasse também lá.
Já imaginou um pregador famoso com convites de redes de TV e shows para milhares ter que deixar tudo e ir para um lugar deserto onde ninguém o conheça?
Sabemos que seria uma decisão difícil e até impossível em alguns casos que alguém deixasse a comodidade de onde está, a fama e as facilidades inerentes a ela.
Lembro me aqui de Dom Azcona que é bispo emérito de Marajó no Para que certa feita em uma homilia disse que como doutor e professor poderia escolher permanecer na comodidade das salas de aula com ar condicionado;mas pelo Evangelho que o impeliu ele optou por ir morar na ilha de Marajó com todo calor e pobreza alí existente.
Eis aí uma chave para ser pensada e estudada por aqueles que se contentam em falar todos os domingos para a mesma assembléia passiva em seus templos. Precisamos urgentemente mudar de atitude, pois ao contrário do que muitos pensam, nós não somos maioria. O número dos que estão em nossas Igrejas é bem inferior ao número daqueles que mesmo batizados sequer lembram-se de Jesus e da sua Igreja.
Enquanto em nossas Igrejas temos algumas centenas precisamos pensar que milhares estão nos bares, boates, campos de futebol, etc., totalmente alheios ao projeto do Reino de Deus.
A sogra de Pedro nos ensina que ao sermos curados por Jesus devemos nos colocar a serviço , ou seja servir , e foi isto que ela fez. Ela não havia pedido nada a Jesus e mesmo depois de curada não pediu nada. Quantos de nós após recebermos de Jesus uma benção logo nos pomos a pedir outra e mais outra numa busca insaciável.
Na carta aos hebreus nos é dito que os filhos participam da mesma natureza, da mesma carne e do mesmo sangue;isto é, Ele veio para libertar e se fez carne como nós. Sofreu tribulações para que pudesse estar em condições de socorrer os atribulados.
Rezemos com o salmista: Dai graças ao Senhor, gritai seu nome,
anunciai entre as nações seus grandes feitos! Cantai, entoai salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas! Tudo isto porque Ele se lembra sempre da aliança. Amém

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: Hebreus 2,14-18
Salmo: 105
Evangelho: Marcos 1,29-39

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *