Ano Ímpar › 07/08/2019

Quarta Feira- 18ª Semana Comum – Ano Impar 07/08/2019


Amados irmãos e irmãs
“Ó mulher, grande é tua fé! Seja-te feito como desejas. E na mesma hora sua filha ficou curada”.
É impossível ler este versículo e não se lembrar de uma discussão atual entre famosos sobre exclusividade na salvação. O que aprendemos deste Evangelho é que todo exclusividade significa exclusão e discriminação de uma maioria em prol da minoria ou as vezes só de um. O Evangelho de Jesus não exclui! Os cristãos, provenientes do judaísmo tinham a tendência de não aceitar os pagãos; pois julgavam serem apenas eles os eleitos do Senhor.
Jesus inverte a ordem estabelecida, se até então Israel era a única referência e modelo de Povo Salvo, porque cumpria a Lei de Moisés, de agora em diante a Salvação que é dom gratuito é oferecida por Deus em Jesus Cristo.
Lembro aqui as palavras de nosso papa Francisco: “Podemos até ter sido batizado, crismado e casado na Igreja Católica, mas se não se não professamos Jesus Cristo, nos converteremos em uma ONG piedosa, não em uma esposa do Senhor”
A fé abre para os pagãos as portas do Reino dos céus. É a fé que permite à mulher cananeia ver e reconhecer Jesus como Messias de todos os povos.
Vale destacar que esta mãe apesar do desespero tem: discernimento; coragem; persistência e iniciativa. Ela não mediu esforços e dispôs-se a lutar pela libertação da filha e para isto enfrentou barreiras culturais (era mulher) e religiosas (não era judia).
Mas ela clamou por Jesus. Humilhou-se, sabia que só Jesus poderia ajudá-la. Ela o adorou e o reconheceu como Senhor e por fim teve fé em Jesus, foi perseverante em seu pedido.
Da leitura do livro dos Números aprendemos que tal como aquele povo nós muitas vezes caminhamos por muitos anos entre dificuldades mil e quando nos aproximamos da posse da terra prometida; quando nos aproximamos do objetivo final que Deus tem para cada um de nós; começamos a murmurar julgando que o último obstáculo é intransponível e por aí vai. Parece que o inimigo de Deus cresce e se torna imbatível. Veja por exemplo o sistema econômico do mundo de hoje que mais parece um trator que passa por cima de tudo e aí nós cristãos nos deparamos com a fome a ser combatida e nos sentimos impotentes. Assim como o Senhor disse para aquele povo, Ele diz a cada um de nós no dia de hoje : Eu não estou convosco? Então porque temer!

Rezemos com o Salmista: Lembrai-vos de nós, ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo! Pecamos como outrora nossos pais, praticamos a maldade e fomos ímpios; no Egito nossos pais não se importaram com os vossos admiráveis grandes feitos. Esqueceram-se do Deus que os salvara, que fizera maravilhas no Egito; no país de Cam fez tantas obras admiráveis, no mar Vermelho, tantas coisas assombrosas. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Números 13,1-2.25-14,1.26-30.34-35
Salmo: 105/106
Evangelho: Mateus 15,21-28

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *