Formação › 15/09/2019

Eis ai a Tua Mãe


A gloriosa Virgem Maria pagou o nosso resgate como mulher corajosa, com amor de compaixão por Cristo. Diz o Evangelho de São João: A mulher, quando está para dar à luz, sente angústia, porque chegou a sua hora (16,21). A bem-aventurada Virgem Maria não experimentou as dores que precedem o parto, porque não concebeu em pecado, como Eva, contra quem foi pronunciada aquela maldição; a sua dor veio-lhe depois: Ela deu à luz na cruz. As outras mulheres conhecem a dor corporal, Ela experimentou a dor do coração. As outras sofrem uma alteração física, Ela sofreu a compaixão e a caridade. A bem-aventurada Virgem Maria pagou o nosso resgate como mulher corajosa, com amor de misericórdia pelo mundo, e, sobretudo pelo povo cristão: Pode a mãe esquecer-se do seu filhinho, pode deixar de ter amor pelo filho das suas entranhas? (Is 49,15) Isto pode ajudar-nos a compreender que todo o povo cristão saiu das entranhas da Virgem gloriosa. Que Mãe a nossa! Imitemo-la e sigamo-la no seu amor. Ela sentiu tal compaixão pelas almas, que teve em nada qualquer perda material e qualquer sofrimento físico. Fomos resgatados a alto preço! (1Cor 6,20). São Boaventura (1221-1274), franciscano e doutor da Igreja Os sete dons do Espírito Santo.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *