Sem categoria › 19/05/2016

Caminho a partir de periferias não é plano de reforma, mas processo com riscos

Francisco-y-pobres-edit“O caminho proposto pelo Papa Bergoglio, a partir das periferias, não é um plano de reforma, mas um processo com muitos riscos, que tem grandes perspetivas”, afirmou Andrea Riccardi – segundo informou a Agência Ecclesia ontem – numa conferência promovida pela Universidade Católica Portuguesa.

Na visão do antigo ministro do governo italiano (2011 a 2013) Francisco deu início a um “cristianismo de povo” e a uma “Igreja que não pretende fechar-se em pequenas comunidades restritas”, perdendo a “dimensão popular”.

“O Papa – de acordo com o fundador da Comunidade de Santo Egídio – não propõe um projeto pastoral, mas tende a evocar entre os bispos, sacerdotes e fiéis uma paixão criativa com especial atenção para os mundos periféricos”.

Para Andrea Riccardi, é “ilusório um catolicismo instalado no centro político-econômico-cultural-mediático, que pense influenciar as multidões periféricas, impondo valores e comportamentos”.

Por Zenit

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *