Sem categoria › 15/07/2016

Brasil é ideal para “Universidade” contra a fome, diz PMA

RV17556_ArticoloPassado um mês da visita do Papa Francisco ao Programa Mundial Alimentar (PMA), a Rádio Vaticano voltou à sede da maior agência humanitária do mundo.

No Brasil, o PMA mantém em parceria com o governo o Centro de Excelência de Combate à Fome, que completa 5 anos de atuação e é, atualmente, um dos principais pontos de referência para os países que buscam sair do mapa da fome criando ou reforçando programas de alimentação nacionais.

Em um encontro com jornalistas da Ásia, África e do Brasil, a diretora de Nutrição do PMA, Lauren Landis, que recentemente esteve no Brasil, afirmou:

Referência

“O Brasil tem um grande número de lições a ensinar sobre a desnutrição e como resolver isso”.

Landis explicou que o Brasil levou apenas dez anos para mudar o seu paradigma nutricional: da desnutrição à obesidade.

“O que eu gostaria de ver o Programa Mundial Alimentar fazer no futuro, é que trouxesse mais nações para entender o sucesso que o Brasil teve – e que provavelmente terá – na questão da prevenção do sobrepeso e da obesidade”.

“Universidade” contra a fome

Fora do mapa da fome e com novos desafios pela frente, o Brasil é o “ambiente ideal” para a formação dos países no combate à fome e conscientização sobre a nutrição ideal.

“Também sinto que nós poderíamos fazer – e este é meu sonho – do Centro de Excelência algo mais como uma ‘Universidade’. No sentido de que precisamos mais cooperação direta. Nós poderíamos ensinar de governo para governo porque os governos não querem ouvir o que o PMA pensa, ou o que o UNICEF pensa. Com frequência, eles querem saber das tribulações pelas quais passaram outros governos para alcançar seja o que for: uma legislação, políticas ou na implementação de programas. E eu penso que o Brasil seria o ambiente ideal onde conduzir isso”, concluiu.

Por Rádio Vaticano

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *