Ano C › 20/05/2019

5º Domingo de Páscoa

Amados irmãos e irmãs

O amor esteja convosco! Ele está no meio de nós!
Soa esquisito, mas é uma verdade que às vezes por respondermos mecanicamente não prestamos atenção no que estamos falando; mas se Deus é amor e Jesus com o Pai é um então Jesus é amor e se queremos que Ele esteja em nosso meio é preciso amar as pessoas.
Diz a música: “amar como se não houvesse amanhã”.
Disse Jesus:“ Dou-vos um novo mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros”.
Jesus veio ao mundo para ensinar um modo de amar que o homem nunca tinha visto ou experimentado antes. É um amor que quer construir, renovar, ajudar o outro a crescer, quer a vida e o bem do próximo. É um amor que sai de si mesmo e vai fazer parte da história do outro. É um amor que se esquece de si mesmo para se entregar totalmente ao outro. É um amor que perde sua vida para entregá-la ao outro!
Portanto podemos concluir que o amor não é uma ideia e nem se reduz a um simples “sentimento”, mas é um movimento de entrega que faz o outro viver, que gera vida: “Sabemos que passamos da morte para a vida porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte” (1 Jo 3,14).
O mundo só vai acreditar se dermos testemunho do amor e o testemunho é este: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”; portanto Jesus não disse que nos reconheceriam como seus discípulos pelos milagres e curas, mas sim pelo amor. Nossa capacidade de amar é um termômetro que indica o quanto verdadeiramente aderimos ao projeto de Jesus.
Nesta semana em uma das leituras do livro dos Atos dos apóstolos ouvimos que em Antioquia foi o lugar onde pela primeira vez os discípulos de Jesus foram chamados de cristãos e ali explicamos o significado da palavra cristão. Ser cristão é ser um “outro Cristo” e por este motivo devemos sempre agir como o próprio Cristo agiria. Para fazer isto é preciso fazer um encontro pessoal com Jesus! Mas como chegar a Jesus? A receita é simples e infalível: para chegar a Jesus que nos conduz ao Pai temos que primeiro passar pela experiência de amar o próximo, pois é o amor aos irmãos que nos conduz a Jesus. Eis aí o início do caminho! Para quem duvida basta lembrar que Ele Jesus se fez homem para que o amássemos como homem e agora amemos uns aos outros
No livro dos Atos vemos como os discípulos andaram e vamos lembrar que não era de carro e muito menos de avião; mas na maioria das vezes a pé e quando muito no lombo de algum animal ou em barcos. Diz a Palavra que “Ali chegados, reuniram a Igreja e contaram quão grandes coisas Deus fizera com eles, e como abrira a porta da fé aos gentios”.
Na segunda leitura o Apocalipse de João nos mostra que a Igreja é a cidade nova e está ligada à páscoa de Cristo que é nosso êxodo definitivo desta vida de dor e sofrimento. Um novo céu e uma nova terra é hoje a aspiração da humanidade empenhada em superar a tanto ódio e injustiça que grassa por todos os cantos do planeta; mas nossa esperança enquanto cristãos não se resume a mesa de negociações da ONU (Organização das Nações Unidas) ou de nações poderosas, mas sim ela reside na promessa de Jesus: “Eis que faço novas todas às coisas”.
É preciso amar como Jesus amou diz a música do padre Zezinho; isto significa que temos um modelo e que não é simples inspiração ou molde mas Ele é o próprio Amor!

UM DIA UMA CRIANÇA ME PAROU
Um dia uma criança me parou, olhou-me nos meus olhos a sorrir. Caneta e papel na sua mão, tarefa escolar a cumprir. E perguntou no meio de um sorriso o que é preciso para ser feliz?
Amar como Jesus amou, sonhar como Jesus sonhou, pensar como Jesus pensou, viver com Jesus viveu. Sentir o que Jesus sentia, sorrir como Jesus sorria. E ao chegar o fim do dia eu sei que eu dormiria muito mais feliz.
Ouvindo o que eu falei ela me olhou e disse que era lindo o que eu falei. Pediu que repetisse, por favor, que não falasse tudo de uma vez. E perguntou no meio de um sorriso o que é preciso para ser feliz.
Refrão
Depois que eu terminei de repetir, seus olhos não saiam do papel. Toquei no seu rostinho e a sorrir pedi que ao transmitir fosse fiel. E ela deu-me um beijo demorado e ao meu lado foi dizendo assim.
Refrão

Rezemos com o Salmista: Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem e os vossos santos, com louvores, vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder! Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração. Amém.

Diácono Ir. Francisco Ferreira Alves Neto

Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Atos 14,21-27
Salmo: 145
2ª. Leitura: Apocalipse 21,1-5 
Evangelho: João 13,31-35

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *