Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 13/02/2018

Terça Feira – 6ª. Semana do Tempo Comum

Amados irmãos e irmãs27336974_1569636759788210_590356091620694746_n

“Jesus advertiu-os: Abri os olhos e acautelai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes! Tendo olhos, não vedes? E tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais mais”?
Devido a preocupação dos apóstolos Jesus dá como que um puxão de orelhas convidando-os a fazer uma “recordação da vida”; ou seja Parecia que tinham esquecido de tudo quanto Ele fizera. Nós também precisamos de vez em quando parar e fazer esta anamnese pois reclamamos tanto que esquecemos de que Jesus já nos tirou de situações piores.
Fico a imaginar a sai justa dos apóstolos que tinham acabado de ver Jesus multiplicar pães e peixes e de repente eles se veem no barco com apenas um pão! Será que o mestre vai fazer outro milagre. Jesus os adverte para que nãos e deixem tomara pela arrogância e orgulho que é como o mau fermento dos fariseus.
Um fermento bom ou mau dentro de uma comunidade pode enriquecê-la ou destruí-la. Jesus quer que todos os seus seguidores evitem o fermento dos fariseus e de Herodes isto é, o orgulho/arrogância, a soberba, a hipocrisia.
O pão que Jesus se refere, e que ele continua a multiplicar hoje é a eucaristia, que só é autêntica quando gera comunhão de vida no serviço prestado aos irmãos. Ele é o único pão que se multiplica!
Na leitura da carta de são Tiago nos é dito: “Ninguém, quando for tentado, diga: É Deus quem me tenta. Deus é inacessível ao mal e não tenta a ninguém”.
Aqui uma grande oportunidade para refletirmos sobre a diferença de tentação e provação. Provação pode vir de Deus quando o sofrimento ou a dor nos faz crescer espiritualmente e se aproximar um pouco mais de Deus. Já a tentação conforme vimos no Evangelho não vem de Deus, pois ela é convite ao pecado, convite para abandonarmos a fé e isto Deus jamais faria. A própria natureza de Deus exclui esse modo de pensar: porque Deus não é tentado pelo mal, nem tenta ninguém (v. 13). A origem das nossas tentações está na concupiscência que nos leva ao pecado.

Rezemos com o Salmista: O Senhor não rejeita o seu povo e não pode esquecer sua herança: voltarão a juízo as sentenças; quem é reto andará na justiça. Quando eu penso: “Estou quase caindo!”, vosso amor me sustenta, Senhor! Quando o meu coração se angustia, consolais e alegrais minha alma. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Tiago 1,12-18
Salmo: 93/94
Evangelho: Marcos 8,14-21

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *