Highslide for Wordpress Plugin
Santoral › 08/06/2018

 SOLENIDADE SAGRADO CORAÇÃO JESUS

Amados irmãos e irmãs
A solenidade do Sagrado Coração de Jesus é a festa do amor de Deus, manifestado em Jesus Cristo, por toda a humanidade. Que o Senhor faça o nosso coração semelhante ao dele.
Neste Evangelho somos chamados a refletir que por onde passou Jesus “fez o bem” e anunciou um Deus que era amor e que não excluía ninguém, nem mesmo os pecadores; ensinou que os leprosos, os paralíticos, os cegos não deviam ser marginalizados; que os pobres e excluídos eram os preferidos de Deus e avisou os “ricos” (os poderosos, os instalados) de que o egoísmo e o orgulho os conduziriam à morte.
Jesus é o inocente condenado injustamente à morte pela inveja que afetou e ainda afeta o coração humano. Dominado pela inveja, o ser humano age perversamente e busca eliminar quem quer que seja. Na cruz, vemos aparecer o Homem Novo, o homem que ama radicalmente e que faz da sua vida um dom para todos. O Oficial viu a revelação do Amor de Deus, naquele Homem que se entregou livremente, porque o verdadeiro amor não é aquele que domina, mas aquele que se deixa dominar, o verdadeiro amor pressupõe uma entrega total. Vamos contemplar a cruz, onde se manifesta o amor e a entrega de Jesus, vamos assumir a mesma atitude e solidarizar-se com aqueles que são crucificados neste mundo: os que sofrem violência, os que são explorados, os que são excluídos e privados de direitos e dignidade.
Do coração de Jesus aberto na cruz brotava a água e sangue. Água que batiza; que lava e purifica nossos corações. Sangue que nos redime, que nos alimenta e nos mantém na caminhada. Segundo a própria ciência só um coração arrebentado faria com que ocorresse a separação do soro dos glóbulos vermelhos. Eis o “sangue e água”; diríamos de um coração arrebentado de amor por mim e por você.
São João Paulo II disse que “o amor sempre se associa ao coração. No Coração trespassado encontramos a dimensão do amor que é maior do que qualquer amor criado”.
O Papa emérito Bento XVI disse: “O Coração de Jesus é trespassado pela lança, torna-se uma fonte; a água e o sangue que saem remetem para os dois Sacramentos fundamentais de que vive a Igreja: o Batismo e a Eucaristia. Do lado trespassado do Senhor, do seu Coração aberto brota a fonte viva que corre através dos séculos e faz a Igreja”.
O Catecismo (1225) ensina: “O sangue e a água que manaram do lado aberto de Jesus crucificado são tipos do Batismo e da Eucaristia, sacramentos da vida nova: desde então, é possível nascer da água e do Espírito para entrar no Reino de Deus (Jo 3, 5). Repara: Onde é que foste batizado, de onde é que vem o Batismo, senão da cruz de Cristo, da morte de Cristo? Ali está todo o mistério: Ele sofreu por ti. Foi n’Ele que tu foste resgatado, n’Ele que foste salvo”.
São João Crisóstomo dizia: “A Igreja brotou do Coração de Cristo de onde jorrou aquele sangue e aquela água que são símbolos do Batismo e dos Mistérios”, ou seja, da Eucaristia.
Guilherme de Saint-Thierry, monge beneditino e depois cisterciense em suas Orações meditativas, 8,6; SC 324 nos diz: “ Senhor para onde levas Tu os que beijas e abraças, senão para o teu próprio coração? O teu coração, Jesus, é esse doce manancial da Tua divindade que está no teu íntimo, o vaso de ouro da alma, que ultrapassa todo o conhecimento (Hb 9,4). Bem-aventurados todos aqueles a quem o teu coração atrai! Bem-aventurados aqueles que, fugindo para as profundezas, foram escondidos por Ti no segredo do teu coração, aqueles que levas aos ombros, ao abrigo dos males desta vida (Sl 31,21). Bem-aventurados aqueles que não tem outra esperança se não o calor e a proteção das tuas asas (Sl 90,4).
A força dos teus ombros protege aqueles que escondem no fundo do teu coração (Lc 13,34), onde podem dormir tranquilamente. Uma doce espera os aguarda nesse abrigo de uma consciência santa, e da expectativa da recompensa que prometeste. A sua fraqueza não os faz desfalecer, nem nenhuma inquietude os faz murmurar (Sl 68,13).
Na profecia de Oséias Deus nos diz: “meu coração comove-se no íntimo e arde de compaixão, os atraía com laços de humanidade, com laços de amor”. Quão bela e grande promessa a nossos antepassados e que para nós se realizou plenamente em Jesus Cristo; Deus feito homem que tem um coração que continua a arder de amor por mim e por você.
Na carta aos Efésios o apóstolo Paulo nos fala de sua missão de anunciar a insondável riqueza de Cristo, insondável porque a mente humana não é capaz de entender tamanho amor. Nossos corações precisam estar enraizados e fundados neste amor; pois somente assim teremos assim a capacidade de compreender qual a largura, o comprimento, a altura, a profundidade deste amor que ultrapassa todo conhecimento.

Rezemos com o Salmista: Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo; o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. Com alegria bebereis do manancial da salvação. Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, publicai em toda a terra suas grandes maravilhas! Amém.

Reflexão feita Pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Os 11, 1.3-4.8c-9
Salmo: Is 12,2-6
2ª. Leitura: Ef 3,8-12.14-19
Evangelho: Jo 19,31-37

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *