Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 23/12/2016

Sexta Feira – 4ª. Semana do Advento

15590101_1171357502949473_3350808350849447495_nAmados irmãos e irmãs
“O que vira a ser este menino? Porque a mão do Senhor estava com ele”. Esta pergunta do Evangelho é para cada um de nós no dia de hoje; o que será de cada um de nós? Como desempenharemos a nossa missão?
Na circuncisão do menino, que era o rito iniciativo correspondente ao nosso batismo, o costume e a tradição determinava um nome familiar de avós ou bisavós. O nome de “João” era estranho, entretanto, na Bíblia existe o simbolismo de se carregar no nome, aquilo que irá ser a missão confiada por Deus, e João significa o Senhor manifestou sua benevolência; Zacarias significa Deus se recordou; Isabel significa Deus é plenitude, perfeição e qual é significado do seu nome diante de Deus?
Cada um de nós recebeu de Deus uma missão especifica que não pode ser cumprida por outra pessoa, pois outra pessoa tem sua própria missão. O dom da fé que recebemos é, ao mesmo tempo, uma responsabilidade. Será que estamos conscientes de que nossa missão, como a de João Batista, é a de facilitar os demais para o encontro com Jesus?
É preciso que tenhamos plena convicção de que assim como João Batista se formos fiéis a missão recebida a mão do Senhor sempre estará conosco.
O Beato papa João Paulo II em sua Homilia em Kiev no dia 24/06/2001 disse: As palavras do profeta Isaías aplicam-se bem a esta grande figura bíblica que se situa entre o Antigo e o Novo Testamento. Na longa esteira dos profetas e dos justos de Israel João, o Batista, foi colocado pela Providência imediatamente antes do Messias, para Lhe aplanar o caminho com a pregação e o testemunho da vida. Chamaste-me quando eu ainda estava no seio da minha mãe (Sl 70,6). Hoje, podemos fazer nossa esta exclamação. Deus conheceu-nos e amou-nos ainda antes que os nossos olhos pudessem contemplar as maravilhas da criação. Ao nascerem, todos os homens recebem um nome humano; mas, ainda antes, possuem um nome divino: o nome com que Deus Pai os conhece e os ama desde sempre e para sempre. É assim para todos, sem excluir ninguém. Nenhum homem é anônimo para Deus! Aos seus olhos, todos têm o mesmo valor: todos diferentes, mas todos iguais, todos chamados a serem filhos no Filho. O seu nome é João. Zacarias confirma aos parentes admirados o nome do filho, escrevendo-o numa tábua. O próprio Deus, através do seu anjo, indicara aquele nome, que em hebraico significa Deus é favorável. Deus é favorável ao homem: quer a sua vida, a sua salvação. Deus é favorável ao seu povo: quer fazer dele uma bênção para todas as nações da terra. Deus é favorável à humanidade: guia o seu caminho rumo à terra onde reinam paz e justiça. Tudo isto está inscrito naquele nome: João.
Na leitura da profecia de Malaquias nos é profetizado a vinda de João tal como veio Elias. João será o mensageiro que irá preparar o caminho e converterá o coração dos pais para os filhos, e o coração dos filhos para os pais.
Rezemos com o Salmista: Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque és o Deus da minha salvação! O Senhor é piedade e retidão e reconduz ao bom caminho os pecadores. O Senhor se torna íntimo aos que o temem e lhes dá a conhecer sua aliança. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Ml 3,1-4.23-24
Salmo: 24/25
Evangelho: Lucas 1,57-66

Imprimir

Deixe uma resposta