Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 01/10/2018

Segunda Feira – 26ª. Semana comum

Amados irmãos e irmãs 

“Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim. E quem me receber, estará recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior”.
No reino de Deus é grande, quem é humilde; quem imita Jesus e serve como Ele serviu e se necessário morre por amor como Ele morreu. É preciso aceitar ser dependente de Deus, eis o segredo. As crianças não se envergonham de reconhecer a sua incapacidade e limitação e se abandonam com confiança nos braços dos pais.
Os discípulos discutiam para saber quem era maior ou quem tinha mais poder. Eles estavam com o pensamento mundano e dominados pela ambição. O poder humano não respeita a liberdade humana, por isso escraviza o homem, não se preocupa com a ética; tem tendência de manipular as pessoas, não suporta competidores, nem admitem rivais e por isso, ele procura todos os meios para eliminá-los. Os discípulos de Jesus, mesmo estando com Ele, não abandonaram suas pretensões de poder. Será que nos dias atuais abandonamos nossas pretensões de poder ao estar na Igreja? Ou ficamos com ciúme doentio por vaidade ou inveja ao não querer permitir que outros façam aquilo que julgamos ser exclusividade nossa; como o discípulo João se queixou por ter visto alguém “expulsando demônios” em nome de Jesus que não pertenci ao grupo dos discípulos. Vejam que se assim agirmos estaremos sendo arrogantes, sectaristas, intransigentes e intolerantes ou até mesmo poderíamos dizer “donos exclusivos da graça e dois dons de Deus”.
Lembre-nos de que a comunidade deve acolher todas as pessoas que praticam o bem independentemente de pertencer ou não à Igreja. O Espírito de Deus é livre e atua onde quer e como quer. Ele não está limitado por regras humanas, por interesses pessoais e nem por privilégios de grupo. Ninguém tem o monopólio do Espírito Santo, Ele não é privilégio de alguns, mas está bem vivo e bem presente em todos aqueles que abrem o coração aos dons de Deus e que aceitam seu projeto de vida.
Por tudo isto é que somos convidados a abandonar o fanatismo, a intolerância, preconceitos, etc., pois tudo isto bloqueia o coração diante da manifestação do amor de Deus.
Rezemos com o Salmista: Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me! Mostrai-me vosso amor maravilhoso, vós que salvais e libertais do inimigo quem procura a proteção junto de vós. Amém.
Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia
1ª. Leitura: Jó 1,6-22
Salmo: 16
Evangelho: Lc 9,46-50

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *