Highslide for Wordpress Plugin
Ano Ímpar › 10/04/2017

Segunda feira da Semana Santa

17862623_1279899205428635_3379024895761221288_nAmados irmãos e irmãs
Estamos mais parecidos com Judas ou com Maria?
As atitudes de Maria e a de Judas Iscariotes são tão contraditórias não somente pelo que significam, mas de quem parte a ação; senão vejamos Judas era apostolo e seguidor, ou seja, estava junto com o mestre ao passo que Maria era apenas uma anfitriã que os recebia. Maria rebaixou-se a condição de uma escrava quando se inclinou diante de Jesus e começou a ungir seus pés com perfume de primeiríssima qualidade.
Judas Iscariotes sempre arredio tomava conta d o caixa comum dos apóstolos sempre está pensando no que ele pode ganhar com a situação. O argumento, cheio de hipocrisia, foi o de que aquele dinheiro poderia ser ofertado aos pobres.
Maria, uma mulher generosa que se entrega totalmente por amor a Cristo e dá o que tem de melhor e mais valioso Aquele que irá também dar o que tem de melhor e mais valioso á humanidade: a sua Vida. Judas não se deu conta de que Jesus já tinha falado as claras a sua opção pelos pobres; Ele mesmo vivia como um pobre que não tinha onde recostar a cabeça.
Muitos de nós ainda não demos conta dessa opção de Jesus; quando dizemos que a Igreja tem opção preferencial pelos pobres esta opção na verdade é de seu fundador Jesus Cristo. Não podemos ser como Judas que fala em ajudar os pobres, mas na verdade usa o nome dos pobres para levar vantagem financeira o que é muito corriqueiro no meio político e não somente lá, mas muitas de nossas comunidades são assim. Maria é a mulher gêneros na qual devemos nos espelhar como seguidores de Cristo, ou seja, dar o melhor para Aquele que com certeza vai olhar e atender os pobres sem hipocrisia.
O profeta Isaías nos diz: “Anunciará com toda a franqueza a verdadeira religião; não desanimará, nem desfalecerá…” Se atualizarmos esta profecia de veremos nas palavras do papa Francisco o pedido para que não desanimemos e que deixemos de lado o pessimismo; pois este não combina com a esperança que é uma virtude cristã colocada entre as três mais importantes.
Rezemos com o Salmista: Quando avançam os malvados contra mim, querendo devorar-me, são eles, inimigos e opressores, que tropeçam e sucumbem. Se contra mim um exército se armar, não temerá meu coração; se contra mim uma batalha estourar, mesmo assim confiarei. Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Isaías 42,1-7
Salmo: 27
Evangelho: João 12,1-11

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *