Highslide for Wordpress Plugin
Ano Ímpar › 04/12/2017

Segunda Feira – 1ª. Semana do Advento

24174526_1507773875974499_3091805937235901030_nAmados irmãos e irmãs
“Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha casa. Dizei uma só palavra e meu servo será curado. Em verdade vos digo: não encontrei semelhante fé em ninguém de Israel”. Este episódio, presente também em Lucas e João (Lc 7,1-10; Jo 4,46-53), é a ocasião para afirmar a universalidade da salvação trazida por Jesus e a eficácia de sua palavra.
O grande ensinamento desta página do Evangelho é que muitas vezes dizemos que não somos dignos, mas não completamos a frase do centurião, ou seja, pela graça de Deus basta que digamos uma palavra e tudo pode mudar em nossas vidas. Nós não podemos ter uma visão exclusivista da Salvação, ela é universal: Deus quer salvar a todos, quem é da comunidade e quem não é.
“Dize somente uma palavra, e o meu criado será curado”. Que fé. Ele sabia do poder de Jesus e assim se expressa: “Eu também sou homem sob autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz”. Em outras palavras o Centurião queria dizer é que sendo ele um homem comum tinha recebido autoridade para dar ordens a pessoas que foram colocadas sob sua autoridade, muito mais o Senhor Jesus que era o filho de Deus.
Tal foi a demonstração de fé do centurião que o Senhor Jesus se admirou e disse: “nem mesmo em Israel encontrei tanta fé”.
Na oração do centurião o que chama a atenção é a humildade; pois ele poderia chegar intimando Jesus a curar, ele era famoso, rico e tinha construído uma sinagoga; aliás, muitas pessoas hoje ousam desafiar Jesus a fazer milagres e prodígios.
Outro detalhe que não pode passar despercebido é que o centurião não pede nada para si ou para um filho seu, mas pede para um simples e humilde serviçal.
Não podemos esquecer de que este é Jesus é o mesmo a quem nós servimos hoje!
Todas as pessoas que procuravam Jesus com contrição de coração, ele nunca deixou de atender.
Olhemos hoje não para nossos criados, mas para nossos amigos, parentes e quanta gente pode estar adoecida, sem nem mais perceber. Há tanta gente assim, com a alma quebrada, sofrida, rejeitada. Tem muita gente que pode estar com enfermidades nos diversos aspectos da vida humana. Na vida conjugal, no relacionamento com os filhos, no trabalho, na escola ou na igreja.
Não importa, seja onde for com que distância estiver, basta uma palavra de Jesus. Lembre-se de que Jesus estava há mais ou menos sessenta quilômetros do servo do centurião e Ele o curou.
Hoje podemos repetir com o centurião: “Diga uma palavra Jesus e eu, minha família e toda minha casa seremos salvos”!
Da Catena Áurea de Santo Tomás de Aquino, extraímos o seguinte comentário: Cafarnaum (que significa vila da abundância, campo de consolação). Quando a pessoa come a Carne e bebe o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, Nosso Senhor entra em sua casa. E ela, humilhando-se, diz: “Senhor, não sou digna”. Mas quando entra em quem não é digno, entra para julgar! A prudência do Centurião aparece no ver, através do Corpo do Salvador, a divindade que n’Ele se encontrava oculta, e por isso acrescenta: “dize, porém, uma só palavra, e o meu servo ficará curado”.
Na leitura do livro do profeta Isaías vemos um convite a estar na tenda que dá sombra contra o calor do dia e abrigo e refúgio contra a ventania e a chuva.
Rezemos com o Salmista: Que alegria quando ouvi que me disseram:
Vamos à casa do Senhor! E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas. Por amor a meus irmãos e meus amigos, peço: “A paz esteja em ti! Pelo amor que tenho à casa do Senhor, eu te desejo todo bem! Amém.

Reflexão feita Pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Isaías 4,2-6
Salmo: 121/122
Evangelho: Mateus 8,5-11

Imprimir

Deixe uma resposta