Highslide for Wordpress Plugin
Ano Ímpar › 06/03/2017

Segunda Feira – 1ª. Semana da Quaresma

17156031_1241375285947694_208936594211092900_nAmados irmãos e irmãs
“Vinde benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim. Perguntar-lhe-ão os justos: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber”?
Eis aqui a página do Evangelho que narra as obras de misericórdia; cuja prática é a missão da Comunidade Missionária Divina Misericórdia. Quando nos perguntam qual a nossa página da bíblia; enchemos o peito para dizer : nossa página é Mateus 25, 31-46.
Uma pergunta não quer calar: Onde estão estes preferidos de Jesus que às vezes nossa cegueira espiritual não permite ver?
Eles estão nas ruas, nas praças, nos hospitais, presídios; casas geriátricas, clínicas para tratamento de dependência química e não se esqueça de que muitos se encontram dentro de nossas próprias casas e nossas comunidades; é isto mesmo: dentro de nossas Igrejas!
Infelizmente dentro de nossas comunidades ainda existe a mesma mentalidade Judaica, de que a Salvação era apenas para aqueles que estão no ambiente religioso e que cumprem corretamente os preceitos. O alerta que aqui é dado é para todos nós que muitas vezes queremos restringir a ação de Deus ao espaço da Igreja e nos esquecemos de que Deus Ele está primeiramente nas pessoas independente do local onde elas se encontrem.
Quando formos nos apresentar ao justo juiz de nada adiantará dizer: fui ministro, catequista, padre, Bispo, Diácono; etc., pois estes títulos ninguém vai levar.
Peçamos a Deus para que não levemos nenhum susto e que sejamos contados entre as ovelhas por ter colocado em prática o ensinamento: Sede santos, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo e ai sim que possamos ouvir em alto e bom tom: Vinde Benditos de meu Pai!
O divisor de águas para estar de um lado ou de outro é o amor! Portanto amem uns aos outros; eis a receita certa!
Amor solidário uma vez que nos empurra na direção dos que necessitam e nos faz fugir da hipocrisia de viver na aparência de discursos vazios; moralismo e fanatismo ao nos julgarmos eleitos em detrimento do demais.
São Cesário de Arles, monge, bispo nos Sermões ao povo, n° 24; SC 243 nos ensina: Refleti meus irmãos, e vede o exemplo de Nosso Senhor, que fez de nós viajantes e nos ordenou que chegássemos à cidade celeste (Hb 11,13ss) trilhando o caminho da caridade. Embora esteja no céu, por compaixão pelos seus membros que sofrem, pois Ele é a cabeça dos membros e do corpo do mundo inteiro (Cl 2,19), disse: Sempre que deixastes de fazer isto a um destes pequeninos, foi a Mim que o deixastes de fazer. Quando Ele transformou Paulo, o perseguidor, em pregador disse-lhe do alto do céu: Saulo, Saulo, porque Me persegues? (At 9,4). Saulo perseguia os cristãos; perseguiria Cristo, que estava no céu? Mas Cristo estava nos cristãos, sofrendo com todos os seus membros, para que esta palavra fosse verdadeira nele: Quando um membro sofre, todos os membros sofrem com ele (1Cor 12,26).
Suportemos, pois, os fardos uns dos outros (Gl 6,2); os outros membros estão destinados a seguir a cabeça. Se o nosso Senhor e Salvador, que não teve pecado, Se digna nos amar, a nós pecadores, com uma afeição tão grande que afirma sofrer o que nós sofremos, porque é que nós, que somos pecadores e podemos resgatar os nossos pecados através da caridade, não nos amamos com um amor tão perfeito que partilhemos, por caridade, todo o mal que é suportado por um de nós? Uma mão ou qualquer outro membro cortado do corpo já não sente nada; assim é o cristão que não sofre com a infelicidade, o infortúnio ou mesmo a morte de outro.
No livro do levítico vemos a enumeração de uma série de comportamentos não condizentes com a vida de filhos e filhas de Deus e são eles: mentiras; juramento falso; opressão ao próximo amaldiçoar aos surdos e cegos; difamação; odiar o irmão e praticar a vingança.
É importante notar que muitos destes comportamentos são adotados por cristão católicos que tem vida atuante dentro de nossas comunidades; portanto antes de preocuparmos com os que estão afastados da Igreja e tem este tipo de comportamento devemos olhar com carinho e misericórdia para aqueles que estando na Igreja contratestemunham a fé.
Rezemos com o Salmista: Senhor meu Deus que vos agrade o cantar dos meus lábios e a voz da minha alma; que ela chegue até vós, ó Senhor, meu rochedo e redentor! Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: Levítico 19,1-2.11-18
Salmo: 19
Evangelho: Mateus 25,31-46

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *