Highslide for Wordpress Plugin
Santoral › 31/12/2017

SAGRADA FAMÍLIA (festa)

Amados irmãos e irmãs25443055_1524593297625890_8694015814572649204_n
Hoje vemos a família de Nazaré apresentar o menino no templo e ali ouvir da boca de um homem e de uma mulher de Deus Simeão e Ana as profecias relativas ao menino que se tornaria o Salvador de toda a humanidade. Fica para todas as famílias a lição de que também apresentem seus filhos na Casa do Senhor para que possam ser eles membros do corpo que é a Igreja cuja cabeça é Cristo o Senhor.
Jesus não brincou de ser homem; Ele verdadeiramente assumiu sua natureza humana! Maria e José educaram Jesus e ele aprendeu muito com seus pais, a revelação de que era Filho de Deus foi acontecendo aos poucos, graças ao testemunho de seus pais. Precisamos olhar para a família de Nazaré como uma família normal e não como uma família de extraterrestre. Não caiamos no erro de achar que Jesus, Maria e José viviam como a gente vê nas imagens dos artistas; eles eram pessoas normais como nós. A Sagrada Família jamais esteve isenta de tribulações como tantas famílias de hoje e dentre elas poderíamos enumerar as famílias sírias que fogem da guerra, as africanas que fogem da fome, a das populações ribeirinhas que fogem dos latifundiários e grileiros, nas cidades famílias fogem de traficantes e do flagelo das drogas e tudo para proteger seus filhos.
A família deve ser amada, apreciada e estimada porque ela é o lugar de Deus e dos homens. É o lugar do amor, da felicidade e da paz. Quando os pais e os filhos não se amam, a casa se torna um hotel, um restaurante. A família-hotel é um lar de desconhecidos. Os hotéis se enchem de hóspedes que estão próximos apenas por causa das paredes, mas suas almas estão isoladas e fechadas.
Sabemos dos grandes perigos que hoje sofrem algumas das nossas famílias: famílias feridas, quebradas, vivendo na pobreza e miséria, famílias angustiadas com dificuldades internas e externas, com preocupações no trabalho, dívidas, com dificuldade na educação dos filhos, com pais ausentes. Famílias atacadas pelo flagelo das drogas, do aborto, da ideologia de gênero, das separações com a guarda compartilhada de filhos. Diante destas dificuldades temos que olhar o modelo da Sagrada Família para que nos digam o segredo para formar uma família conforme a vontade de Deus.
Ariel Álvarez, padre argentino nos diz algo interessante senão vejamos:
CRÔNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA
1. Jesus se perde em Jerusalém. Jesus morrerá em Jerusalém.
2. Jesus se perde na festa da Páscoa. Jesus morrerá na Páscoa.
3. Jesus se perde três dias. Ao morrer fica três até ressuscitar.
4. Jesus teve que “subir” da Galileia. Para morrer também.
5. Na angústia dos pais Jesus diz que a sua perda “é necessária”. Na angústia dos discípulos, Jesus diz que a sua morte “é necessária”.
Paulo VI na Homilia de 5 de janeiro de 1964 em Nazaré elencou algumas lições da Sagrada Família de Nazaré:
– Lição do silêncio. Renasça em nossas famílias a valorização do silêncio que traz paz espiritual; recolhimento, interioridade e oração. José e Maria foram obedientes porque ousaram silenciar e ouvir a voz de Deus. Na vida não basta olharmos o que as pessoas fazem e falam, mas também o seu silêncio, aquilo que elas não falam, mas dizem muito.
– Lição de vida doméstica. Nazaré nos ensina o que é a família; a sua comunhão de amor na simplicidade, austeridade e caráter sagrado e inviolável.
– Lição de trabalho. Nazaré é a casa do “Filho do Carpinteiro”, da labuta humana do dia na dignidade do trabalho.
Na primeira leitura do livro do Eclesiástico vemos que honrar pai e mãe é um modo de viver no temor do Senhor, dentro da própria família. No AT, se modelava as famílias patriarcais onde a paz, os bens materiais e a descendência numerosa eram sinais da benção do Senhor. A obediência não era só sinal e garantia de benção e prosperidade para os filhos, mas também um modo de honrar a Deus nos pais.
Na segunda leitura da carta de são Paulo aos Colossenses nos é ensinado pelo apóstolo que viver no Senhor é uma maneira de criar relacionamentos saudáveis dentro de casa. Por tudo isto é que o apóstolo nos fala em suportar uns aos outros em nossas dificuldades. Suportar aqui significa ser suporte, ser escora e se preciso for carregar um ao outro no colo.
Rezemos com o Salmista: A tua esposa é uma videira bem fecunda no coração da tua casa; os teus filhos são rebentos de oliveira ao redor de tua mesa. Será assim abençoado todo homem que teme o Senhor. O Senhor te abençoe de Sião cada dia de tua vida. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Eclesiástico 3,3-7.14-17 
Salmo:128 
2ª. Leitura: Colossenses 3,12-21
Evangelho: Evangelho – Lc 2,22-40

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *