Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 12/05/2018

Sábado 6ª. Semana da Páscoa

Amados irmãos e irmãs31939838_1676034855815066_8695059598811332608_n
“Saí do Pai e vim ao mundo. Agora deixo o mundo e volto para junto do Pai”.
Nós também poderemos repetir estas mesmas palavras de Jesus no dia que fizermos nossa páscoa.
Antes da sua encarnação, Deus era alguém distante e misterioso, nem todos tinham acesso a Ele. Com Jesus essa distância que havia entre os homens e Deus, foi quebrada e superada em definitivo, pois em Jesus, Deus conheceu na intimidade o ser humano, e este conheceu a Deus também na intimidade. O que pedimos ao Pai, em nome de Jesus, ele atenderá, claro que é preciso saber pedir, por isso Jesus ensinou-nos a Oração do Pai Nosso.
São Cipriano, bispo e mártir em seu escrito a Oração do Senhor, §§ 26-28 nos ensina: “Não nos deixeis cair em tentação (Mt 6,13). Quando pedimos para não cair em tentação, lembramo-nos da nossa fragilidade, para que ninguém se olhe a si mesmo com complacência, para que ninguém se eleve com insolência, se glorifique a si mesmo pela sua fidelidade ou pela sua provação, quando o próprio Senhor nos ensina a humildade, quando nos diz: Vigiai e orai, para não cederdes à tentação. O espírito está cheio de ardor, mas a carne é débil (Mc 14,38). Se primeiro fizermos profissão de humildade, daremos a Deus tudo o que pedirmos com temor e reverência, e podemos estar certos de que a sua bondade no-lo concederá.
Esta oração termina com uma conclusão que reúne, numa forma breve, todos os pedidos. Dizemos no final: Mas livrai-nos do mal. Compreendemos, neste passo, que o inimigo pode maquinar contra nós neste mundo, mas estamos certos de ter um amparo poderoso se Deus no-lo conceder, se Ele vier em socorro daqueles que Lhe imploram. Portanto, quando dizemos: Livrai-nos do mal, nada mais temos a pedir. Ficamos fortalecidos contra todas as maquinações do demônio e do mundo. Quem poderá temer o mundo, se Deus for o nosso protetor neste mundo?
Porque estranharmos que Deus nos tenha ensinado a orar desta maneira, ensinando-nos numa tão breve fórmula tudo o que devemos pedir para nossa salvação? Quando o Verbo de Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, veio para todos os homens, reuniu os doutos e os ignorantes, e forneceu os preceitos de salvação para todos, seja qual for o sexo ou a idade. Fez uma resenha concisa dos seus preceitos. Assim, quando quis ensinar em que consiste a vida eterna, sintetizou todo o mistério da vida numa fórmula de concisão maravilhosa: Esta é a vida eterna: que Te conheçam a Ti, único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a Quem Tu enviaste (Jo 17,3).
Aqui entra a questão do intercessor e do mediador. Imagine você precisando de um grande favor do bispo de sua diocese, mas que você sequer o viu pessoalmente e ele nem sabe de sua existência, obviamente que um padre que é muito amigo seu e também muito amigo do bispo pode conseguir através da mediação o que você precisa e que se tentasse sozinho talvez nem fosse recebido.
Nos Atos dos apóstolos vemos Apolo, natural de Alexandria, homem eloquente e muito versado nas Escrituras, instruído no caminho do Senhor, mas só tinha o batismo de João e por este motivo Priscila e Áquila expuseram-lhe mais profundamente o caminho do Senhor.
Antes de partirem para Acaia, os irmãos animaram-os e escreveram aos discípulos que o recebessem bem. Às vezes ficamos a pensar o quanto nos faz falta quando saímos em missão para terras estranhas sem estas cartas de recomendação ou no caso dos tempos atuais um simples telefonema ou Email que nos apresente ao bispo ou ao pároco do local.

Rezemos com o Salmista: Porque Deus é o grande rei de toda a terra, ao som da harpa acompanhai os seus louvores! Deus reina sobre todas as nações, está sentado no seu trono glorioso. Os chefes das nações se reuniram com o povo do Deus santo de Abraão, pois só Deus é realmente o Altíssimo, e os poderosos desta terra lhe pertencem! Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Atos 18,23-28 
Salmo: 46/47
Evangelho: João 16,23-28

Imprimir

Deixe uma resposta