Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 24/02/2018

Sábado – 1ª. Semana da Quaresma

Amados irmãos e irmãs27752431_1587867041298515_5292712564847327426_n

Amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos perseguem; somente com a graça de Deus, pois por nós mesmos é praticamente impossível colocar em prática este mandamento.
Em que consiste amar o inimigo? Amar o inimigo é ver nele algum valor, é me aproximar dele; respeitá-lo; é não sentir inveja de sua vitória e nem se alegrar com suas derrotas; ser capaz de lhe estender a mão e estar pronto a reatar a amizade rompida.
A lei é o amor! Quem ama não consegue enxergar defeitos no amado. O amor cobre uma multidão de pecados. O amor nos impele de maneira inexplicável na direção daquele que às vezes até nos prejudicou.
O amor não se incomoda com críticas de que está sendo passado para traz, de que está fazendo papel de bobo, etc.
Rezar pelos inimigos não significa que Deus vá mudá-lo, mas principalmente que eu vou mudar para aprender a aceitar as limitações do outro.
São Policarpo nos diz: “Orai por todos os santos. Orai também pelos reis, os príncipes, os magistrados, por aqueles que vos perseguem e vos odeiam, pelos inimigos da cruz, e que assim todos possam contemplar o fruto que vós trazeis e que nele sejais perfeitos”. Isto nos faz pensar das quantas e quantas vezes falamos mal dos políticos, dos governantes, da hierarquia da Igreja, mas nunca cedemos um minuto de oração pela conversão deles.
São Cesário de Arles, monge e bispo nos Sermões ao povo, n° 37; SC 243 nos ensina: Algum de vós dirá: “Não sou capaz de amar os meus inimigos”. Deus não cessa de te dizer nas Escrituras que és capaz, e tu respondes-lhe dizendo que não és? Reflete comigo: em quem devemos acreditar, em Deus ou em ti? Uma vez que Aquele que é a própria Verdade não pode mentir, que a fraqueza humana abandone desde agora as suas desculpas fúteis. Aquele que é justo não pode ordenar coisas impossíveis, nem Aquele que é misericordioso condenará um homem por algo que este não era capaz de evitar. Nesse caso, a que se devem as nossas hesitações? Ninguém sabe melhor aquilo de que somos capazes do que Aquele que nos tornou capazes. Há tantos homens, tantas mulheres e crianças, tantas jovens delicadas que por amor de Cristo suportaram as chamas, o fogo, o gládio e os animais selvagens de forma imperturbável, e nós dizemos que não somos capazes de suportar insultos de gente estúpida?
Com efeito, se só tivéssemos de amar os bons, que haveríamos de dizer do comportamento do nosso Deus, sobre quem está escrito: De tal modo amou Deus o mundo que lhe deu o seu Filho unigênito? (Jo 3,16) Pois que bem tinha o mundo feito para que Deus assim o amasse? Cristo nosso Senhor veio encontrar todos os homens, não somente maus, mas mortos por causa do pecado original; e, contudo, amou-nos e entregou-se a si mesmo por nós (Ef 5,2). Deste modo, amou também aqueles que não o amavam, como observa o apóstolo Paulo: Cristo morreu pelos culpados (Rm 5,6); e, na sua misericórdia inexprimível, deu este exemplo a todo o gênero humano, dizendo: Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração (Mt 11,29).
No livro do Deuteronômio vemos que Moisés transmite ao povo as palavras do Senhor Deus que tranquilamente podemos e devemos ouvir como o é de fato para cada um de nós neste dia.
Em primeiro lugar Ele fala que devemos pertencer de maneira exclusiva ao Senhor; isto é não se pode servir outro Deus e isto não quer dizer outra divindade, mas tudo aquilo que possa furtar-nos da presença do Senhor como, por exemplo, o dinheiro, o poder, o prazer, etc.
Deus também ordena que guardemos as leis e estes preceitos e aqui o interessante é que se trata de uma ordem e como é bom cumprir ordem deste tipo, ou seja, fazer a vontade de quem a gente ama; exemplificando diria que é como escalar u, corintiano para ser gandula no jogo do Corinthians, escalar o enfermeiro para cuidar do cantor ou ator preferido; etc.
Por fim a leitura fala de um povo consagrado ao Senhor este povo nos dias de hoje somos nós!
Rezemos com o Salmista: Os vossos mandamentos vós nos destes, para serem fielmente observados. Oxalá seja bem firme a minha vida em cumprir vossa vontade e vossa lei! Quero louvar-vos com sincero coração, pois aprendi as vossas justas decisões. Quero guardar vossa vontade e vossa lei; Senhor, não me deixeis desamparado!

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Deuteronômio 26,16-19
Salmo: 118/119
Evangelho: Mateus 5,43-48

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *