Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 09/05/2018

Quarta Feira – 6ª. Semana da Páscoa

31870401_1676024415816110_6058731603633373184_nAmados irmãos e irmãs

‘A um Deus desconhecido’. O que adorais sem o conhecer, eu vo-lo anuncio!
O que será que tantas pessoas andam adorando sem conhecer? Adoram qualquer coisa porque não conhecem o verdadeiro Deus; mas quem tem a missão de apresentar lhes o Deus verdadeiro?
A resposta é simples: esta missão é da Igreja e a Igreja somos nós povo de Deus reunido. Os desafios da Igreja primitiva para a evangelização não são os mesmos desafios de hoje, mas a Palavra é a mesma; o Espírito que a conduz é o mesmo.
Vemos hoje muitos cristãos católicos com a seguinte dúvida: “O que Jesus faria em meu lugar e o que ensinaria”? A leitura literal do texto sagrado não nos dará a resposta, pois imaginem Jesus diante de uma página de face book, de um avião, de uma estação espacial? A bíblia não traria respostas simples, pois na época do Jesus histórico nada disto existia; mas temos então o Espírito que vai responder nossa pergunta e nos mostrar o que fazer. A missão do Espírito é atualizar o Anúncio de Jesus. O Ressuscitado continua a falar. É no Espírito Santo que ele fala, ensina e continua a agir.
Vejam o que diz a Constituição dogmática sobre a Igreja “Lumen gentium”, §§ 4 e 12 a respeito da missão do Espírito Santo:” Ele é o Espírito de vida, ou a fonte de água que jorra para a vida eterna (cf Jo 4,14; 7,38-39), por Quem o Pai vivifica os homens mortos pelo pecado, até que ressuscite em Cristo os seus corpos mortais (cf Rm 8,10-11). O Espírito habita na Igreja e nos corações dos fiéis como num templo (cf 1Cor 3,16; 6,19), e dentro deles ora e dá testemunho da adoção de filhos (cf Gl 4,6; Rm 8,15-16.26). A Igreja, que Ele conduz à verdade total (cf Jo 16,13) e unifica na comunhão e no ministério, enriquece-a Ele e guia-a com diversos dons hierárquicos e carismáticos e adorna-a com os seus frutos (cf Ef 4,11-12; 1Cor 12,4; Gl 5,22). Pela força do Evangelho, rejuvenesce a Igreja e renova-a continuamente e leva-a à união perfeita com o seu Esposo. Porque o Espírito e a Esposa dizem ao Senhor Jesus: “Vem” (cf Ap 22,17)!
A totalidade dos fiéis que receberam a unção do Espírito Santo (cf Jo 2,20.27) não pode enganar-se na fé; e esta sua propriedade peculiar manifesta-se por meio do sentir sobrenatural da fé do povo todo, quando este, desde os bispos até ao último dos fiéis leigos (Santo Agostinho), manifesta consenso universal em matéria de fé e costumes. Com este sentido da fé, que se desperta e sustenta pela ação do Espírito de verdade, o Povo de Deus, sob a direção do sagrado magistério que fielmente acata, já não recebe simples palavra de homens, mas a verdadeira palavra de Deus (cf 1Ts 2,13), adere indefectivelmente à fé uma vez confiada aos santos (cf Jd 3), penetra-a mais profundamente com juízo acertado e aplica-a mais totalmente na vida.
Além disso, este mesmo Espírito Santo não só santifica e conduz o Povo de Deus por meio dos sacramentos e ministérios e o adorna com virtudes, mas distribuindo a cada um os seus dons como Lhe apraz (1Cor 12,11), distribui também graças especiais entre os fiéis de todas as classes, as quais os tornam aptos e dispostos a tomar diversas obras e encargos, proveitosos para a renovação e cada vez mais ampla edificação da Igreja, segundo aquelas palavras: “ a cada qual se concede a manifestação do Espírito em ordem ao bem comum” (1Cor 12,7).
Nos Atos dos apóstolos vemos que a saga de Paulo continua e aqui encontramos uma página interessantíssima da Palavra e nela Paulo conduzido pelo Espírito Santo que o assiste ensina: “O Deus, que fez o mundo e tudo o que nele há, é o Senhor do céu e da terra, e não habita em templos feitos por mãos humanas. Nem é servido por mãos de homens, como se necessitasse de alguma coisa, porque é ele quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas”. Aqui meus amados esta a prova do que é o magistério da Igreja; os escolhidos e enviados de Deus que ensinam inspirados pelo Espírito Santo que o Evangelho nos apresenta como atualizador da Palavra.
Os atenienses disseram: “Outra hora te ouviremos”. Infelizmente muitos nos dias de hoje dão a mesma resposta aos que anunciam o Deus verdadeiro. Meus irmãos e irmãs se procuram paz, felicidade, saúde, amor em outros deuses e até em um deus desconhecido; nós enquanto Povo de Deus e Igreja de Jesus vos apresentamos o Deus verdadeiro: Ele é o Deus que tudo criou a partir do nada; Ele é o Deus que se encarnou, se fez um de nós; padeceu sob Pôncio Pilatos; foi crucificado e morto; mas vencendo a morte ressuscitou, subiu aos céus e nos mandou o paráclito que conduz a Igreja que é sua esposa e à qual um dia virá resgatar do mundo!

Rezemos com o Salmista: Louvem o nome do Senhor, louvem-no todos, porque somente o seu nome é excelso! A majestade e esplendor de sua glória ultrapassam em grandeza o céu e a terra. Ele exaltou seu povo eleito em poderio, ele é o motivo de louvor para os seus santos. É um hino para os filhos de Israel, este povo que ele ama e lhe pertence. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Atos 17,15. 22-18,1
Salmo: 148 
Evangelho: João 16,12-15

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *