Highslide for Wordpress Plugin
Ano Par › 21/12/2016

Quarta Feira – 4ª. Semana do Advento

15541380_1169537973131426_3375590459734966511_nAmados irmãos e irmãs
Com que pressa levamos Jesus aos irmãos? Hoje somos chamados a refletir sobre a expressão “Maria saiu apressadamente…”
Isto porque quando Maria concebeu do Espírito Santo Isabel sua parenta estava grávida há seis meses, portanto ainda não era o nono mês então para ajudá-la no momento do parto não precisaria ter pressa ou correr; pois ainda faltavam três meses. Mas o Evangelista coloca esta pressa no sentido de que para levar Jesus aos irmãos é preciso ter urgência. Ainda hoje esta urgência se faz mais necessária no sentido de que o tempo se aproxima. Óbvio é que quanto mais vivemos aqui nesta terra menos temos para aqui viver ainda e a hora que partirmos precisamos ter feito este encontro pessoal com o Crucificado ressuscitado.
Nesse sentido precisamos sair e ter pressa para levar ao mundo este anúncio, romper com a religião do formalismo religioso, deixar de ser a Igreja fechada em si mesma para doar-se aos irmãos e irmãs que ainda não ouviram o anúncio. Como Maria, certamente iremos ficar admirados quando percebermos o modo como Deus age na história de seu povo.
Precisamos ser a Igreja do vai (que vai ao encontro) e não ser a Igreja do vem (fica esperando). Nossa disposição para uma entrega total, fazendo assim a vontade de Deus, como diz a carta aos hebreus: Eis que venho para fazer a vossa vontade. Quando o amor chega a esse ponto, o sacrifício ritualista torna-se secundário diante do verdadeiro e autêntico sacrifício agradável a Deus: dar a vida pelos irmãos e irmãs.
As duas mulheres, mães grávidas, cheias do Espírito Santo, ao se encontrarem se regozijam com o andamento dos fatos em cumprimento à vontade de Deus. Em seus ventres dois grandes homens, sendo certo que um deles possuía duas naturezas (divina e humana). O Cântico dos Cânticos diz: Apareceram as flores na nossa terra, voltou o tempo das canções. Em nossas terras já se ouve a voz da rolinha. Se a natureza canta louvores com os pássaros e animais com muito mais motivos devemos nós homens entoar aquele que para o nosso Deus será o Cântico de todos os cânticos: Nosso SIM incondicional!
Rezemos com o salmista: No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! Por isso o nosso coração se alegra nele, seu santo nome é nossa única esperança. Amém

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: Cântico dos Cânticos 2,8-14
Salmo: Sl 32
Evangelho: Lucas 1,39-45

Imprimir

Deixe uma resposta