Highslide for Wordpress Plugin
Ano Ímpar › 29/11/2017

Quarta Feira – 34ª. Semana Comum

23905724_1507767182641835_3562443712257173345_nAmados irmãos e irmãs
“Sereis entregues até por vossos pais, vossos irmãos, vossos parentes e vossos amigos, e matarão muitos de vós. Sereis odiados por todos por causa do meu nome ”.
Olhando esta página do Evangelho vemos que tanto lá no tempo de Jesus como cá nos tempos atuais todos aceitam a religião desde que não incomode. Todos parecem querer um cristianismo alienado, voltado para dentro e que não se preocupe com a injustiça social e com os desmandos dos poderosos. Os que amam o verdadeiro cristianismo, que encarnam o Evangelho são perseguidos e sofrem na pele por causa da opção feita.
Enquanto estivermos trancafiados dentro de nossas comunidades seremos bem vistos e até elogiados, mas se sairmos pela rua ajudando os pobres e denunciando as causas que os levaram a tal situação tenham certeza que já não seremos tão bem vistos e nem elogiados.
Jesus nos alerta que é na perseguição e no sofrimento que temos a grande oportunidade de testemunhar nossa fidelidade ao Evangelho e assim nos mantermos perseverantes.
Muitos poderiam estar perguntando como suportar tuto isto e a resposta Ele já nos deu ao afirmar que o Espírito Santo virá em nosso socorro. Ele também prometeu que estaria conosco até o fim dos tempos, dizendo: “Não temais! Coragem. Eu venci o mundo”!
A respeito do medo e preocupação vejamos o que nos ensina Santa Teresa de Ávila, carmelita e doutora da Igreja em “Pensamentos sobre o amor de Deus, cap. 3, 4-6 LN/C”. É bem verdade que nada é impossível àquele que ama. Feliz o que frui dessa paz por parte do seu Deus, que domina todos os sofrimentos e perigos do mundo. Não teme perigo algum, se serve a tal Senhor, e tem toda a razão. Tenho para mim que as pessoas de seu natural temerosas e pouco corajosas, mesmo quando se elevam até esse estado de que falo, ficam assustadas na sua fraca natureza. Há, portanto, que ter cuidado, pois essa fragilidade natural poderá fazer-nos perder uma coroa magnífica. Quando sentirdes, minhas filhas, esses assaltos de temor, recorram à fé e à humildade; e, fortificadas pela convicção de que nada é impossível a Deus (Lc 1,37), começai a vossa tarefa. Ele deu fortaleza a muitas jovens santas, de tal forma que se tornaram capazes de suportar todas as tribulações a que se tinha proposto sofrer por Ele!
O que Ele nos pede é uma determinação que faça dele o Senhor do nosso livre arbítrio, pois dos nossos esforços não tem Ele precisão alguma. Pelo contrário, Nosso Senhor agrada fazer brilhar as suas maravilhas nas criaturas mais fracas, pois assim com mais facilidade manifesta o seu poder e satisfaz o desejo de nos conceder dons.
Deixai de lado as objeções da razão, e despreze essa vossa fraqueza. Ela aumentará se parardes para refletir se sereis capazes ou não. Também não é altura para pensardes nos pecados cometidos, deixai-os de lado. Tal humildade é agora inadmissível, é completamente despropositada. Ficai certas de que o Senhor jamais abandona aqueles que o amam e que se expõem a riscos só por Ele.
Na leitura da profecia de Daniel o rei Baltasar profana os vasos sagrados que seu pai tinha roubado do templo de Jerusalém e quando engrandeciam seus deuses apareceram-lhe dedos de uma mão que escrevia: Mâne, técel e pársin. Daniel é chamado a interpretar tal visão e a faz dizendo: Mâne significa que Deus contou os dias do reinado de Baltasar e ele se acha concluído; técel significa que o rei foi pesado na balança e reprovado e por fim pársin significa que o reino dividido seria entregue aos medos e persas. Tudo isto como consequência da profanação do rei Baltasar e seus asseclas.
Rezemos com o Salmista: Lua e sol, bendizei o Senhor! Astros e estrelas, bendizei o Senhor! Chuvas e orvalhos bendizei o Senhor!
Brisas e ventos, bendizei o Senhor! Fogo e calor, bendizei o Senhor! Frio e ardor, bendizei o Senhor! Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Daniel 5,1-6.13-14.16-17.23-28
Salmo: Dn 3
Evangelho: Lucas 21,12-19

Imprimir

Deixe uma resposta