Highslide for Wordpress Plugin
Formação › 27/05/2016

NOSSO CARISMA E NOSSA MISSÃO

1111111Como sabemos carisma é um dom especial dado por Deus a alguma pessoa para a edificação da Igreja “cada um recebe o dom de manifestar o Espirito para a utilidade de todos” I Cor 12,4, esses dons veem sempre ao socorro de uma necessidade especial vivenciada no momento; se existe a necessidade de uma palavra de ciência Deus fará ali brotar, se existe a necessidade de alguma cura milagrosa Deus irá conceder essa cura por meio da oração de alguém, Deus está sempre a observar a necessidade de seu povo e sempre age com misericórdia derramando as graças que se fazem necessárias a nós por meio de diversos dons, “mas é o único e mesmo Espirito quem realiza tudo isso,” I Cor 12, 11.

No caso das fundações sejam elas tradicionais ou novas esse dom é derramado não somente sobre uma pessoa, mas sobre um grupo de pessoas, que desde toda a eternidade o Criador já os havia criado com esse plano de amor, claro que entre essas pessoas existe aquele que recebe o dom por primeiro e a ele é dado a capacidade de difundir esse dom e também a capacidade de atrair as pessoas não a si mesmo, mas para o carisma dado a ele por Deus, essa pessoa é o fundador, que é o próprio carisma que caminha conosco, isso não significa que somente ele tem o dom, mas sim que a ele foi dado e confiado primeiro, ele é quem desbrava o caminho e aos demais que também tem esse carisma cabe a seguir o caminho já trilhado pelo fundador.

Saber disso é importante, pois tendo o fundador ainda vivo em nosso meio, nos faz saber que o carisma ainda está em desenvolvimento, ainda está em sua característica fundante, não significa que o carisma está mudando nem se transformando, mas sim se revelando por completo. Outra coisa importante de distinguirmos bem é o carisma da missão, uma forma clara de entendermos essa diferença é observarmos o discipulado e o apostolado, o discípulo é aquele que está junto do mestre para ser formado, ser entendido de si mesmo e das coisas que o rodeiam, ser discípulo é descobrir quem é você mesmo diante de Mestre, isso é o carisma, é descobrir quem nós somos, por outro lado temos o apostolado que é propriamente a missão é aquilo que se faz no dia a dia e aquilo que a fundação oferece ao mundo, seja na adoração, oração ou no trabalho, claro que não tem discipulado sem apostolado, ou carisma sem missão, mas existe missões sem carisma, existe serviços oferecidos aos outros e a até mesmo a Igreja sem ser por meio de um dom especifico.

É de nosso conhecimento que as Novas Comunidades ou Novas Fundações ainda não se encontram bem definidas dentro da estrutura da Igreja, e atualmente somos reconhecidos como associação privada de fieis Cân. 298 § 1, essas associações são um grupo de pessoas que se juntam sobre a aceitação e observação da Igreja para exercer alguma missão, como por exemplo promover a evangelização ou até mesmo para realizar obras caritativas, mas são somente um serviço, não que isso seja pouco, pois foi para isso que o Senhor os chamou, mas nós Novas Comunidades somos chamados a algo além, a algo a mais, não somos somente chamados a realizar o apostolado próprio de nossa comunidade, mas somos chamados a realizar esse apostolado vivenciando o primado absoluto do Senhor em nossas vidas por meio do carisma, não porque somos melhores que os outros, mas porque o próprio Jesus nos chamou a ser isso a ser esse carisma.

Para melhor ilustrar me arrisco a dar um exemplo sem querer fazer comparações, na cidade de São Carlos/SP, mais propriamente na paroquia São Sebastião temos um grupo chamado Pão dos Pobres que se juntam sempre nas quartas feiras no salão paroquial para oferecer as pessoas que precisam em especial aos moradores de rua alimentos e roupas, é um grupo de serviço que faz um trabalho majestoso na cidade e que faz o reino de Deus acontecer, esse serviço é oferecido a quem precisa por pessoas que deixaram seus afazeres diários por algumas horas para se dedicar a esse fim. Esse serviço de oferecer o alimento e as roupas a quem precisa e especial os moradores de rua também é oferecido por nossa comunidade, mas não como algo que vamos fazer ao próximo, mas oferecemos nossa própria vida ao próximo, pois a dedicação não foi de algumas horas para preparar o alimento ou conseguir a roupa para doar, mas nossa vida foi voltada a isso, pois o alimento oferecido é também o nosso alimento e a roupa oferecida é também a nossa roupa, ou seja, não oferto aquilo que preparei para o próximo eu oferto aquilo que preparei para mim, dessa forma oferto parte de mim, parte de que eu sou. Quero deixar claro que aqui não se trata de uma comparação ou de uma avaliação a quem é melhor ou quem faz mais, mas sim se trata de uma observação a quem vive o que Deus pediu para se viver.

Pois bem fica aqui entendido que a missão é importante, mas não é o essencial, pois para quem é vocacionado a alguma fundação não se importa o que se faz, mas se importa como se faz, pois não sou eu individuo quem faz e sim o carisma que em mim vive que realiza a obra. O importante para o vocacionado não é dar comida, mas sim levar o carisma que vive em mim por meio da comida que eu dou.

454545454O CARISMA DA COMUNIDADE MISSIONÁRIA DIVINA MISERICORDIA
Vamos então tratar de nosso carisma especifico, vamos dar uma olhada rápida e bem por cima para tentarmos entender um pouco mais desse dom dado a nós por meio de Deus, primeiramente vamos ver a frase que define nosso carisma:
SER SINAL DA MISERICORDIA DO PAI NO MUNDO DE HOJE
Essa frase não foi pensada nem elaborada de uma forma poética no início da fundação, na verdade essa definição vem da experiência de fé vivida por meio de nosso fundador do versículo 36, do capitulo 6 do Evangelho de São Lucas “sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso”, e por anos foi esse versículo que nos orientou na vivência da comunidade até entendermos a definição do carisma como vimos acima. Por meio do versículo aqui citado entendíamos o convite feito a nós por Jesus para sermos misericordiosos, para agirmos com misericórdia, assim como o Pai age conosco, mas conforme dissemos; o carisma enquanto o fundador está presente continua se revelando, e o que o Espirito Santo nos foi indicando por meio do discernimento e vivência do fundador e dos primeiros irmãos é que a nós não bastava somente agir com misericórdia, mas deveríamos ser esse sinal de misericórdia por toda a eternidade. Esmiuçemos então a definição de nosso carisma para tentar iluminar um pouco mais nossas mentes.

1º SER (se trata do indivíduo se trata do verbo ser, ou seja, “eu sou, tu és, ele é”)
2º SINAL (algo que identifica que revela, ter uma marca em nós)
3º DA MISERICORDIA DO PAI (onde essa misericórdia do Deus Pai se revela ao extremo a cada um de nós, o cume do seu plano misericordioso de salvação ao mundo entregando o seu Filho amado na cruz)
4º NO MUNDO DE HOJE (espaço e tempo em que vivemos)

Tentando então trazer de forma racional a nós o que se é quase impossível, dizer ser pertencente a essa comunidade é dizer que Deus brotou em teu coração o dom de ser essa pessoa que permite ser marcado pelas mesmas marcas do Filho de Deus no alto da cruz para este tempo e para este mundo para a salvação dos irmãos.

O nosso carisma nos configura ao Cristo Crucificado, para assim ao encontra-lo no irmão que recebe o nosso apostolado podermos também nós nos reconhecer em suas chagas e também sofrermos com suas feridas, não por compaixão, mas por experiência de sentir as mesmas dores. Isso tudo porque temos a certeza que depois dessa cruz e dessas dores teremos um dia a ressurreição, pois somente pode ser o Ressuscitado aquele que antes foi o Crucificado.

Quando me deparo com tantos irmãos e irmãs de caminhada sofrendo dores, angustias e perdas me questionando o motivo disso, a única coisa que consigo sempre responder é que olhem para cruz, é ser aquele sinal que Deus nos pede a ser e claro vivenciar tudo o que ele vivenciou, as dores, as angustias e a perdas. Digo isso, pois também diversas vezes sou eu a olhar para cruz e tentar entender aquilo que passo, claro que a nossa visão tem que ir além da cruz e entender que após tudo isso virá a ressurreição.

Entendendo um pouco sobre o nosso carisma vemos que é obvio que isso é dom dado por Deus a cada um que segue essa comunidade, pois seria humanamente impossível vivenciar isso somente na dimensão humana e sem a espiritual. Claro que ninguém chega pronto a comunidade ou vivenciando o carisma na sua plenitude, isso tudo se dá com o tempo e com o dia a dia na presença desse dom de Deus, cabe ao vocacionado estar aberto ao carisma e permitir ser moldado pela graça vivificante do Espírito Santo.

Não dá para ser um consagrado sem me crucificar com Cristo e esperar que com Ele ressuscite.

A MISSÃO DA COMUNIDADE MISSIONÁRIA DIVINA MISERICORDIA
Após termos uma ideia do carisma de nossa comunidade, podemos então entender a missão de uma maneira mais ampla, sabendo que não é somente o fazer, mas como e porque o fazer. Então temos como missão a pratica das obras de misericórdia, então vejamos:

1. – OBRAS CORPORAIS
a) – Dar comida a quem tem fome (encontrar no irmão o Jesus que por vezes não tinha o que comer e que ficava aguardando os discípulos retornarem com alimento, ser também para o irmão o próprio Cristo que se dá em alimento)
b) – Dar água a quem tem sede (encontrar no irmão o Jesus que pede agua assim como pediu a samaritana “Dai-me de beber” e ser também para o irmão a própria agua viva que refresca e sustenta e purifica as feridas)
c) – Vestir os nus (oferecer ao Cristo que foi despido no momento da cruz por causa dos pecados e injustiças do mundo, vestes que resguarda seu corpo e dão dignidade e ser para ele o calor do abraço de Jesus)
d) – Visitar os Doentes (cuidar do Cristo chagado e limpar suas feridas assim como fez Verônica, e ser também para esses o Bom Samaritano que acolhe cuida, cura e sara todas as feridas)
e) – Visitar os Presos (ir ao encontro de Jesus que se encontra atrás grades por causa de um sistema falho e injusto e ser esse Cristo que leva a esperança de liberdade a todos os cativos)
f) – Enterrar os mortos (oferecer ao Cristo morto um sepultamento digno e adequado sendo a cada irmão mensageiros da ressureição)
g) – Acolher os peregrinos (oferecer mais que um local para Jesus reclinar a cabeça, oferecer um lar assim como Jesus encontrava na casa de seu amigo em Betânia, e ser para cada um a segurança e o conforto que só encontramos em Deus)

3333333332. – OBRAS ESPIRITUAIS
a) – Dar Conselhos (como Jesus estar sempre pronto para ouvir e indicar um bom caminho)
b) – Ter paciência com os erros dos outros (saber que todos nós estamos a caminho da conversão e que erros fazem parte de nossas vidas)
c) – Perdoar sempre (independente da situação, estar sempre pronto a perdoar assim com Jesus nos perdoou no alto da cruz)
d) – Rezar pelos vivos e pelos mortos (sendo intercessores de todos os irmãos para que sejam alcançados pela misericórdia de Deus)
e) – Ensinar os ignorantes (assim como Jesus anunciou o reino e ensinava as coisas do alto aqueles que ignoravam tal situação, somos também chamados anunciar essa catequese aos que ignoram o amor de Deus)
f) – Corrigir os que erram (de uma forma amável e fraterna corrigir os irmãos que erram, buscando que observem e avaliem seu ato que foi errado e escolha o certo)
g) – Consolar os aflitos (em momento de desespero na vida do irmão ser suporte para que ele possa se apoiar e permanecer de pé, buscando sempre estar de ouvidos atentos e levar palavras de consolo e conforto)

Imprimir

Deixe uma resposta