Highslide for Wordpress Plugin
Ano B, Santoral › 25/12/2017

Natal do Senhor – Missa do Dia

25289724_1522399964511890_4452467589339309349_nAmados irmãos e irmãs
“Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam”.
A Luz que é Deus resplandece nas trevas do mundo e o mundo não a compreende.
A alegria que tomou conta dos pastores de Belém é também nossa alegria. Aclamemos com o salmista: Este é o dia que o Senhor fez para nós; alegremo-nos e nele exultemos.
Deus veio a este mundo como uma criança; quis se apequenar como nós para verdadeiramente ser um de nós. Apesar desta enorme prova de amor o mundo tenta encobrir Jesus, tenta sufocar e escondê-lo; fazendo do Natal a festa do consumismo, do esbanjamento; dos presentes, das decorações luminosas, das viagens e cruzeiros, dos comes e bebes; do sentimentalismo barato disfarçado de generosidade e emoção.
Tentam substituir o menino pelo papai Noel, chegando ao absurdo de pendurar papai Noel no lugar da estrela de Belém ou colocá-lo na manjedoura. O natal está se tornando uma festa pagã.
Portanto cabe a nós cristãos resgatar o verdadeiro sentido do Natal e isso não conseguiremos fazer com belos discursos ou pregações emocionadas. Embora nós homens não sejamos castos como José, embora vocês mulheres não tenham o amor de Maria, embora não tenhamos cantado glória com a nossa vida; na nossa pobreza e alma vazia é preciso sair daqui sabendo que o Natal de Jesus só acontecerá se realmente escutarmos o que a Palavra de Deus nos fala hoje. Ele só acontecerá se acolhermos e amarmos os irmãos. Isto nos faz lembrar uma bela e antiga canção do padre Zezinho que dizia:
Estou pensando em Deus / Estou pensando no amor
Eu me angustio quando vejo / Que depois de dois mil anos
Entre tantos desenganos / Poucos vivem sua fé
Muitos falam de esperança / Mas esquecem de você
Tudo seria bem melhor / Se o Natal não fosse um dia
E se as mães fossem Maria / E se os pais fossem José
E se os filhos parecessem / Com Jesus de Nazaré
Uma coisa ninguém pode negar: Apesar de tudo o Natal de JESUS continua tocando o coração das pessoas, inclusive de quem não é cristão!
A humanidade fica tomada pelo supremo sentimento de amor ao próximo e a Terra fica impregnada do espírito sereno da paz de Cristo
São Rafael Arnaiz Baron, monge trapista espanhol nos ensina em seus Escritos espirituais de 27/12/1936: Anuncio-vos uma grande alegria, que o será para todo o povo. Está muito frio na terra. Os céus estão bordados de estrelas, que mal se conseguem adivinhar sobre o azul-escuro da abóbada celeste inundada de trevas. Na Terra, uma das estrelas menores do imenso sistema planetário, estão em vias de acontecer esta noite prodígios que espantam os anjos: um Deus que, por amor ao homem, desce humildemente à carne mortal e nasce duma mulher numa das estrelas mais pequenas e mais frias, na Terra.
Também os homens têm gelo no coração. Ninguém acorre a assistir ao milagre do nascimento de Deus. O mundo inteiro reduz-se a uma mulher chamada Maria, a um homem de olhos azuis que se chama José, e a um bebé recém-nascido que, envolvido em panos, abre os olhos pela primeira vez sob o hálito quente de um burro e uma vaca, repousando sobre a palha que a pobreza de José e a solicitude e o amor de Maria Lhe arranjaram. O mundo dorme inconsciente, o pesado sono da carne. Está muito frio nessa noite na terra de Judá. As estrelas bordadas no céu são olhos de anjos que cantam Glória a Deus nas alturas! Um cântico entoado para Deus e escutado por alguns pastores que guardam os seus rebanhos e que acorrem a adorar, com a sua alma de meninos, a Jesus que acaba de nascer. É a primeira lição do amor de Deus.
Vamos concluir esta reflexão fazendo juntos a seguinte súplica:
Para nós que ainda peregrinamos, te pedimos, ó Menino Jesus:
Se andarmos, ilumina-nos, pois Tu és a Luz do mundo.
Se estivermos cansados, fortifica-nos com sua força do alto.
Se pararmos no caminho, estimula-nos a seguir em frente.
Se cairmos na caminhada desta vida, levanta-nos.
Se estivermos fracos, carrega-nos nos seus ombros.
Se formos atacados pelos inimigos, defende-nos.
Se estivermos perdidos, procura-nos e nos conduza com tua sabedoria. Amém
Na primeira leitura do livro do profeta Isaías nos é falado de como são belos sobre as montanhas os pés do mensageiro que anuncia a felicidade, que traz as boas novas e anuncia a libertação; é Ele o Deus da paz tão esperado por todos nós. É Natal e Natal do Senhor, o Cristo de Deus!
Na leitura da carta aos Hebreus vemos que ao introduzir o seu Primogênito na terra, Ele diz: Todos os anjos de Deus o adorem e obviamente que nós homens também devemos adorá-lo. Ele já não mais fala conosco pelos profetas, mas agora fala através de seu Filho que também é Deus!
Rezemos com o Salmista: O Senhor fez conhecer a salvação e, às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel. Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Amém.

Reflexão feita pelo diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Isaías 52,7-10
Salmo: 97/98
2ª. Leitura: Hebreus 1,1-6
Evangelho: Jo 1,1-18

Imprimir

Deixe uma resposta