Highslide for Wordpress Plugin
Santoral › 30/11/2018

FESTA DE SANTO ANDRÉ APOSTOLO

Amados irmãos e irmãs 
PESCADORES DE HOMENS!
Quando Jesus convida André e Pedro a deixarem as redes que pescam peixes e assumir as redes que pescam homens há neste trocadilho um ensinamento incrível, ou seja, para pescar peixes é preciso paciência e às vezes se passa a noite toda sem nada pescar embora os peixes estejam ali.
Na pregação do Evangelho também é assim, ou seja, os homens estão ali e ouvem, mas ninguém morde a isca, isto é, ninguém se converte e aceita o evangelho, mas mesmo assim outro dia virá e a pesca tem que continuar.
Não é o tipo de isca ou tecnologia que te faz pescar mais peixes assim como não é a eloquência do pregador que converte os corações, mas a graça de Deus. Como é triste ver pregadores que fazem cursos de linguística, consultas com fonoaudióloga, posturas, etc.; mas se esquecem da Eucaristia e da oração. Não estou dizendo que a preparação técnica não seja importante, mas ela não é a principal. Quem tem este comportamento é tentado a achar que vai convencer por seus próprios méritos; o que é um ledo engano.
Imaginem você pregar naquela época da Igreja primitiva sem rádio, jornal, televisão ou internet e o pior era ter que se locomover a pé ou no máximo de camelo, cavalo ou navio; pois carro e avião era coisa de extraterrestre.
Mas aqueles homens tinham dentro de si algo que ultrapassa o entendimento humano, qual seja a fé em Jesus de Nazaré, o mesmo que sendo Deus encarnado é o nosso Deus crucificado e ressuscitado.
E hoje o que é que nos move a continuar esta pescaria maluca que vai contra tudo e contra todos?
Crer com o coração e professar com a língua; isto é o que a leitura de hoje nos leva a refletir. Pense bem meus irmãos que isto quer dizer que nossa língua deve dizer o que esta em nossos corações. Quantas vezes nós dizemos o que nosso coração não sente apenas para atender conveniências? A leitura ainda diz que se formos fiéis podemos ter a certeza de que nós não seremos confundidos.
Finalmente nos é dito que: Como invocarão aquele em quem não têm fé? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue? E como pregarão se não forem enviados?
A resposta é sua, mas posso adiantar que tudo depende do teu sim.
Rezemos com o salmista: Senhor nosso Deus bem sabemos que não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; mas pela vossa graça é que seu som ressoa e se espalha em toda a terra e por isto vos pedimos que após o envio nos dê a força necessária de perseverarmos sempre no vosso caminho. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Leitura: Romanos 10,9-18
Salmo: 18
Evangelho: Mateus 4,18-22

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *