Highslide for Wordpress Plugin
História dos Santos › 25/01/2017

CONVERSÃO DE SÃO PAULO

16142618_1200369330048290_6535331538788955056_nO apóstolo dos gentios e das nações nasceu em Tarso. Da tribo de Benjamim, era judeu de nação. Tarso era mais do que uma colônia de Roma, era um município. Logo, ele recebeu também o título de cidadão romano. O seu pai pertencia à seita dos fariseus. Foi neste ambiente, em meio a tantos títulos e adversidades, que ele foi crescendo e buscando a Palavra de Deus.
Combatente dos vícios foi um homem fiel a Deus. Paulo de Tarso foi estudar na escola de Gamaliel, em Jerusalém, para aprofundar-se no conhecimento da lei, buscando colocá-la em prática. Nessa época, conheceu o Cristianismo, que era tido como uma seita na época. Tornou-se, então, um grande inimigo dessa religião e dos seguidores desta. Tanto que a Palavra de Deus testemunha que, na morte de Santo Estevão, primeiro mártir da Igreja, ele fez questão de segurar as capas daqueles que o [Santo Estevão] apedrejam, como uma atitude de aprovação. Autorizado, buscava identificar cristãos, prendê-los, enfim, acabar com o Cristianismo. O intrigante é que ele pensava estar agradando a Deus. Ele fazia seu trabalho por zelo, mas de maneira violenta, sem discernimento. Era um fariseu que buscava a verdade, mas fechado à Verdade Encarnada. Mas Nosso Senhor veio para salvar todos. Encontramos, no capítulo 9 dos Atos dos Apóstolos, o testemunho: “Enquanto isso, Saulo só respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor. Apresentou-se ao príncipe dos sacerdotes e pediu-lhes cartas para as sinagogas de Damasco, com o fim de levar presos, a Jerusalém, todos os homens e mulheres que seguissem essa doutrina. Durante a viagem, estando já em Damasco, subitamente o cercou uma luz resplandecente vinda do céu. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: ‘Saulo, Saulo, por que me persegues?’. Saulo então diz: ‘Quem és, Senhor?’. Respondeu Ele: ‘Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro te é recalcitrar contra o aguilhão’. Trêmulo e atônito, disse Saulo: ‘Senhor, que queres que eu faça?’ respondeu-lhe o Senhor: ‘Levanta-te, entra na cidade, aí te será dito o que deves fazer'”.
O interessante é que o batismo de Saulo é apresentado por Ananias, um cristão comum, mas dócil ao Espírito Santo. Hoje estamos comemorando o testemunho de conversão de São Paulo. Sua primeira pregação foi feita em Damasco. Muitos não acreditaram em sua mudança, mas ele perseverou e se abriu à vontade de Deus, por isso se tornou um grande apóstolo da Igreja, modelo de todos os cristãos.
O TEXTO ABAIXO É PARA PENSAR!
Se temos um passado que nos condena, que faz com que eu sejamos marginalizados e excluídos pelos que estão na Igreja ; pois não confiam em nós. Dizem que podemos participar das missas; mas não podemos assumir nenhum cargo de direção, não podemos ir para o seminário; não podemos ser ministro da Eucaristia, não podemos ser catequista e muito menos pregar a Palavra.
Com certeza o que acima está escrito diz muito para alguns de nós cristãos católicos como se Saulo fossemos. Aliás, de Saulo todos nós temos um pouco.
Mas a estes mesmos cristãos talvez falte o verdadeiro encontro com o Ressuscitado na estrada de Damasco. Como seria esta estrada de Damasco no século XXI?
Jesus disse ide; mas nós na verdade queremos permanecer em nossas comodidades.
São Paulo melhor que ninguém soube entender a ordem de Jesus para levar o Evangelho a todos os rincões. Paulo foi além e pregou o Evangelho aonde a rejeição e a hostilidade era uma certeza, não pensando nos riscos que iria correr, nos perigos que teria de enfrentar, nas situações embaraçosas que poderiam ocorrer.
Nos tempos atuais é comum ver políticos cristãos católicos que abandonam verdades do Evangelho para agradar partidos e não perder eleições ou aqueles que perdem vantagens e até mandatos para permanecerem fiéis ao Evangelho.
Outros tantos para não perder o emprego, a namorada ou outra concessão qualquer chegam a negar Jesus!
Pasmem todos vós; mas não estamos falando de pagãos ;mas sim de cristãos e aqui não somente de cristãos católicos mas também de tantas outras denominações cristãs.
Paulo é o apóstolo dos gentios porque ao contrário de muitos de nós dias atuais soube entender que não se deve contentar em permanecer no templo pregando sempre para as mesmas pessoas, mas sim que é preciso sair e pescar em águas mais profundas.

São Paulo de Tarso, rogai por nós!

Imprimir

Deixe uma resposta