Highslide for Wordpress Plugin
Formação › 29/04/2016

COMUNIDADE DE VIDA E ALIANÇA

COMUNIDADE DE VIDA E COMUNIDADE DE ALIANÇA

10300119_617325488388125_2812664175954991894_n

UMA ÚNICA COMUNIDADE VIVENCIADA DE DUAS MANEIRAS

As Novas Comunidades geralmente tem em seu quadro de membros duas realidades distintas mas que se completam, a Comunidade de Vida e a Comunidade de Aliança, já desde o inicio devemos entender que a comunidade é uma só e que uma não se faz mais importante que a outra, não se deve haver distinção em nada entre os membros da comunidade de vida e os membros da comunidade de aliança, não se deve facilitar nada nem pra um nem para outro, a formação deve ser a mesma, a entrega deve ser a mesma, a consagração é a mesma, pois único é o carisma e não existe duas formas diferentes de se viver um carisma original. É lógico que deve ser respeitado o tempo de disponibilidade na comunidade e em sua missão de acordo com cada pessoa e em especial com os membros da comunidade de aliança.

Para melhor entendimento vamos entender cada uma em uma explicação separada e sucinta:

COMUNIDADE DE VIDA: deve ser entendida como o pronto socorro da comunidade, seus membros tem 100% do seu tempo destinado a realização da missão da comunidade, são aqueles membros que não desenvolvem nenhuma outra atividade de trabalho fora da comunidade, são aqueles que estão na comunidade o tempo todo, claro tendo respeitado suas folgas e férias (conforme cada comunidade defina), mas esses vivem o carisma dentro do carisma, vivendo da forma que a comunidade vive, gosto de definir que esses vivem somente para a comunidade, da comunidade e pela comunidade. Os membros da comunidade de vida estão sempre vivenciando uma vida comum e devem estar disponíveis a qualquer momento para a realização da missão. A grade dadiva e a grande dificuldade dessa forma de viver a comunidade é justamente a vida comum.

COMUNIDADE DE ALIANÇA: deve ser entendida como a mão da comunidade estendida a toda a sociedade, esses mantem os vínculos e atividades de trabalhos fora da comunidade de maneira comum a outros que não são membros da comunidade, tendo como diferencial a forma que o mundo deve os enxergar, pois devem ser um sinal de contradição com a atual cultura que vivemos no meio secular. Cada membro vai definir o tempo que possa estar disponível para a execução da missão própria da comunidade, cada qual vai definir o tempo que estará no espaço e a serviço da comunidade, mas deve se ficar claro que se defina que esse tempo seja 10% que essa pessoa deve estar disponível 100% desses 10%, não se pode mentir a Deus e nem roubar de Deus. O grande missão das pessoas da comunidade de aliança é ser a Face do carisma no meio secular, os demais devem perceber que essa pessoa é diferente, mas diferente para o lado positivo claro; a esses fica a missão de ajudar prover a comunidade em suas necessidades, não necessariamente tirando do próprio bolso, mas como se está diretamente ligado no meio secular o numero de contatos e a possibilidade de conseguir essas ajudas são maiores do que daqueles que vivem o tempo todo na missão. A grande dadiva dessa forma de vida é poder viver a vida fraterna sem os riscos da vida comum e o grande desafio é se manter na vida fraterna sem se ver na vida comum.

JESUS INICIA A COMUNIDADE DE VIDA E A COMUNIDADE DE ALIANÇA

Muitos acreditam que isso é algo muito novo, mas isso não é verdade. Primeiramente devemos entender o que é fazer parte de uma comunidade; é viver uma mesma espiritualidade, um mesmo ideal, uma mesma missão, um mesmo projeto de vida. Podemos aqui citar o exemplo dos discípulos e apóstolos de Jesus, eles formavam uma comunidade que na época era algo novo pois não existia cristãos, então todos eles tinham uma mesma espiritualidade O CRISTIANISMO, tinham um mesmo ideal SEGUIR A JESUS, uma mesma missão VIVENCIAR A EXPERIENCIA DE CRISTO e o mesmo projeto de vida VIVER COM JESUS.
Apesar de terem tudo isso em comum vemos duas realidades diferentes que eles vivenciavam essa forma de vida. Vamos pegar o exemplo de duas pessoas diferentes que seguiam Jesus na mesma intensidade mas em situações distintas.

LAZARO em Lc 10 vemos que Jesus vai a casa de Lazaro e suas irmãs para descansar da viagem, pois Betânia ficava próxima de Jerusalém e a palavra nos indica que Jesus era amigo íntimo daquela família, vemos verdadeiramente que Lazaro fazia parte daquela comunidade de Jesus mas sem sair de sua casa ou deixar de desempenhar suas atividades, o que ele e suas irmãs podiam oferecer aquela comunidade era simplesmente um lugar de descanso, repouso e amizade e isso era infinitamente importante para Jesus e sua comunidade a importância e o carinho para com aqueles irmãos era tão grande que vemos em Jo 11, 35 que Jesus chora a morte de Lazaro e mesmo após o reviver dos mortos não o chama a segui-lo pelo caminho, mas o deixa na casa com suas irmãs realizando ali a missão que ele tinha junto da comunidade.

A outra pessoa que vamos comparar é PEDRO, vemos o encontro dele com Jesus em Lc 5, após o milagre da pesca Pedro se rende aos pés de Jesus e pede até para que Jesus se afaste dele pois ele não era digno de estar junto daquele homem, daquela comunidade, mas Jesus o chama para a fazer parte da comunidade e logo em seguida no versículo 11 a palavra nos fala que ele e os outros deixaram tudo e foram para a comunidade viver a missão junto de Jesus. Sabemos da importância de Pedro para Jesus e também sabemos da importância dele para aquela comunidade que é a IGREJA.
Podemos então colocar aqui que tanto LAZARO como PEDRO viviam a mesma comunidade, ou seja, o seguimento de Jesus, mas cada qual com o seu ministério, seu serviço e sua forma de vivencia-la sem a preocupação de uma ser mais importante que o outra, podemos até dizer que se fosse nos dias de hoje rotularíamos como LAZARO sendo comunidade de Aliança e PEDRO comunidade de Vida, mas na verdade o que ambos eram era comunidade de Cristo somente e tudo isto. Mas o mais importante observarmos é que a forma que eles viviam essa comunidade não foi escolha deles mas um chamado de Cristo, a escolha de como eles viveriam a comunidade é Jesus quem fez para eles.

Podemos ver outro exemplo em Mt 19, um jovem se aproxima de Jesus e claramente apresenta o desejo de fazer parte daquela comunidade, pois queria viver a perfeição da vontade de Deus, mas aparentemente o mesmo chega com uma decisão tomada , e quando Jesus o chama a deixar tudo e segui-Lo, ou seja o chama para a comunidade de vida ele recusa, e o mais importante e ver que ao recusar ele vai embora, Jesus não apresenta uma segunda opção “comunidade de aliança” pois a comunidade é uma só e quem define como vamos viver a comunidade não somos nós e sim Jesus, não devemos ter medo daquilo que Jesus nos pede pois Ele sabe melhor do que nós o que é bom o que é melhor para nós.

VIDA COMUM E VIDA FRATERNA NAS PRIMEIRAS COMUNIDADES CRISTÃS

Outra forma de descrever essas comunidades é como comunidade de vida comum e comunidade de vida fraterna, como os próprios nomes já sugerem as comunidades de vida comum (vida) são aqueles que vivem em um mesmo lugar, que convivem diariamente e estão sempre juntos no desempenho da missão e as comunidade de vida fraterna (aliança) trata-se daquelas pessoas que apesar de viverem separada de sua comunidade e não conviver diariamente tem uma ação significativa e comprometida com a missão.

Podemos ver isso no livro dos Atos dos apóstolos, após Jesus ter subido ao céus e os apostolo terem recebido o Espirito Santo durante a festa de Pentecostes se deu verdadeiramente o início das comunidades cristãs, vemos que aqueles que receberam o Espirito Santo começam a evangelizar e preparar mais discípulos, devido a isso começa a grande perseguição aos cristãos e o grande nome dessa perseguição é Saulo de Tarso (conf. At 7, 58) ele começa a perseguir e matar os cristãos em Jerusalém e começa a buscar em outros lugares esses cristãos, mas em uma dessas viagens indo a Damasco, Saulo tem um encontro com Jesus e literalmente cai do cavalo, o que o leva a cegueira.

Ai começa todo um movimento de Deus para a conversão deste homem e a comunidade deve se movimentar também neste sentido mas Jesus não indica essa missão especifica a aqueles que poderíamos considerar os de vida comum (que eram os apóstolos que permaneciam em Jerusalém) mas Jesus designa a uma pessoa que poderíamos dizer ser membro da comunidade de aliança pois vemos em At 9, que em Damasco havia alguns discípulos que participavam da missão daquela comunidade mas não de uma forma cotidiana e essa pessoa que Deus designou a missão de evangelizar a Saulo foi Ananias, que num primeiro momento até titubeia em aceitar a missão pois tinha medo não somente da morte que até então Saulo carregava com ele, mas também por não se achar capaz de assumir essa missão.

Mas como disse anteriormente não somos nós quem escolhemos e sim Jesus que escolhe por nós e mesmo sendo Ananias uma pessoa que não vivia uma vida comum na comunidade foi e realizou a missão dada por Deus levando Saulo para casa e colocando-o a viver junto daquela pequena célula da comunidade dos cristãos que havia em Damasco e o resultado disso foi o hesito na missão fazendo com que Saulo se torna-se Paulo o maior pregador com que a Igreja já pode contar.

Lembro que Ananias somente teve sucesso na evangelização de Paulo porque assumiu o chamado de sua comunidade, ele não quis se afastar da missão com a desculpa de não estar preparado, de não ter tempo ou até mesmo por morar longe da comunidade, mas assumiu o carisma lhe dado por Deus e levou-o a comunidade para que toda ela pudesse desempenhar aquela missão, mas manteve-se a dianteira como responsável por aquela missão que Deus o havia dado, responsável por aquele momento, responsável daquele evento em que a comunidade dos cristãos era chamada a realizar e esse evento era a evangelização de um único homem. Isso também para nos mostrar que não importa o tamanho do evento ou da missão que temos, mas se fizermos com fidelidade ao chamado de Deus por meio daquele carisma dado a nós essa pequena missão frutificará de tal forma que será impossível contar quantos e quão saborosos são os frutos que aquela única semente semeada naquele carisma original pode dar.

TRAZENDO PARA AS NOSSAS COMUNIDADES ATUAIS

Devemos entender enquanto uma comunidade a importância existente em ambas realidades e se a comunidade é chamada e ter ambas formas de vida entender que uma completa a outra que cada qual deve se colocar de maneira disponível e humilde ao serviço de Deus, ofertando com gratidão aquilo que Deus concede a cada um como talento.

É importante que nossas comunidades tenham um projeto de vida, tanto missionaria como formativa bem explicado e que um calendário comum com os eventos e missões da comunidade seja elaborado com bastante antecedência e com a participação de todos para que a comunidade que possui as duas realidades não corra o risco de ter sempre na realização de sua missão os membros da comunidade de vida porque a comunidade de aliança não conseguiu se organizar para a participação, quando fazemos tudo com antecedência e organização é mais fácil e necessário que os membros da comunidade de vida possam se organizar para se colocarem a disposição dos irmãos.

Deve se tomar cuidado também para que os membros da comunidade de aliança ao definirem o que podem estar fazendo na comunidade e o tempo que possa estar disponibilizando para a comunidade, não ficar somente nisso, pois corremos o risco de ficarmos no superficial. Exemplo:

Sou membro da comunidade de aliança e me decidi que posso estar sempre nas formações que ocorrem as quintas-feiras a noite e também a servir na santa missa como ministro da eucaristia nas sextas-feiras e também passar ao menos um domingo com os irmãos na casa comunitária. Pois bem dessa forma me organizei com a coordenação da comunidade e venho realizando isso impecavelmente, mas ai entro de férias do serviço e continuo somente com esses horários e com essas participações; se assim o faço significa que fiquei no superficial, se Deus me deu mais tempo que eu também possa dar mais tempo a Deus.

Isso vale também para os membros da comunidade de vida, se na minha missão foi designado pela coordenação da comunidade que devo ficar responsável pelo cuidado do jardim da casa comunitária, devo pensar em que fazer após terminar os cuidados diários, ver em que mais posso ajudar e me colocar a disposição, se somente realizo aquilo que me é pedido e depois fico ocioso observando os outros a realizarem a missão que a eles foram destinados também me mantive somente no superficial.

VIDA DE ORAÇÃO COMUNITARIA

Com toda a certeza a vida de oração é algo que deve ser vivida intensamente em nossas comunidades independente se sou membro da comunidade de vida ou da comunidade de aliança.

Em nossas comunidades temos as nossas orações coletivas em horários próprios e que fazemos em comunidade, claro que quem é da comunidade de aliança nem sempre pode estar nas casas comunitárias para rezar juntos e mesmo nem sempre rezar nos horários especificados para cada oração na comunidade, devido muitas vezes por causa dos compromissos de trabalho, mas mesmo sendo membro da comunidade de aliança ou membro da comunidade de vida, devo me organizar para realizar todas as orações que minha comunidade reza ainda que seja em minha casa e sozinho, mas não posso me contentar em rezar apenas um terço por dia com a desculpa do tempo, e também tenho que tomar o cuidado de não querer fazer todas as orações comunitárias de uma vez, cada qual tem seu momento, seu preparo sua razão de ser.

É extremamente importante que quem é membro da comunidade de aliança possa encontrar ao menos um horário semanal para se rezar juntos dos irmãos na casa comunitária.

ORAÇÃO PESSOAL

A oração pessoal é outra coisa de extrema importância na vida comunitária, é quando o consagrado ou o vocacionado se retira por alguns minutos diários para ter a sua conversa pessoal com Deus e isso deve ocorrer todos os dias, inclusive finais de semana e feriados, pois o Senhor virá como um ladrão de noite (2 Pd 3,10) e não podemos confundir essa oração pessoal com as possíveis orações comunitárias que por ventura tenha feito sozinho por ser membro da comunidade de aliança e não ter tido como ir na casa comunitária ou por estar de folga ou férias sendo membro da comunidade de vida.

Devemos ter em mente que essa oração é meu dialogo diário com meu Senhor, e pode ser feito e é até indicado usar a Lectio Divina para esse momento, lembrando que é um diálogo e não um monologo, a conversa deve se partir de mim mas devo dar tempo e prestar atenção naquilo que o Senhor irá falar e como irá falar, estando atento ao sentimento que em mim brota, aquilo soa dentro de mim, atento a palavra, as pessoas que me rodeiam e até mesmo a natureza. É de extrema importância entender esse diálogo e até mesmo as vezes entender a falta de resposta por parte de Deus, mas esse assunto trataremos um pouco mais a frente.

ORAÇÃO EM FAMILIA

Para aqueles que são casados e são membros de uma comunidade deve se existir sempre a oração em família, além das orações comunitárias, da oração pessoal, esse momento o casal deve orar junto nem que seja um simples terço, mas rezar pelo seu matrimonio, pelos seus filhos, pela sua casa e em família rezar pela comunidade a qual Deus lhes deu.

Nós somos chamados a sermos diferentes, somos chamados a termos uma vida em Deus e com Deus a todo o momento, por isso somos chamados a sermos consagrados.

Por: Irmão Marco, mdm
Consagrado e Formador Geral da CMDM

Imprimir

Uma resposta para “COMUNIDADE DE VIDA E ALIANÇA”

  1. Cícero lima ribas disse:

    Bom dia. Sinto o chamado de jesus para poder seguir e levar a diante sua palavra. Muito bom todas as explicações. Maravilhoso a explicação de cada dia de oração e das comunidades.

Deixe uma resposta