Highslide for Wordpress Plugin
Santoral › 20/08/2017

ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA

imaculadaAmados irmãos e irmãs
“Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações”.
O que fez a diferença na vida de Maria, e que também deve fazer a diferença em nossa vida é a ação do Espírito de Deus!
Tomada por este Espirito Maria não titubeou, não duvidou em aceitar tão grande missão que nem mesmo ela entendera e outro grande ensinamento é que ao invés de ficar pensando ou querendo louros ela parte em missão e missão de solidariedade ao ir ao encontro de uma parenta de nome Isabel que dela necessitava.
A isto podemos chamar de dinamismo do Espírito Santo que faz com que Maria descubra a vocação de servir. E ela fez isto de tal maneira que foi impossível a Isabel não perceber que ela estava toda cheia do Espírito Santo.
Quando nós homens descobrimos nessa vida a vocação para o amor, para o serviço, o céu já se faz presente em nós. Enchemo-nos também deste Espírito e é preciso que as pessoas que nos rodeiam se sintam como Isabel, ou seja, percebam em nós este Espírito; ainda mais que temos a Eucaristia.
Aqui na comunidade costumamos dizer que quando comungamos é como se estivéssemos grávidos de Deus. Somos portadores de Deus! Somos como que sacrários vivos! Quanta benção e quanta graça!
A solenidade que celebramos hoje na verdade não é mariana, mas sim é a festa da vitória de Deus e do seu Cristo sobre o mal e a morte; é a festa da Páscoa do ser humano; da participação da nossa humanidade na Páscoa de Cristo.
Maria é a figura da Igreja, é mãe, mestra e solidária com todos os filhos.
Na primeira leitura do livro do Apocalipse vemos que Maria, imagem da Igreja, glorificada na Assunção, é a criatura que atingiu a plenitude da salvação, até a transfiguração do corpo. É a mulher vestida de sol e coroada de doze estrelas. É a mãe que nos espera e convida a caminhar para o Reino de Deus. A Mãe do Senhor é a imagem da Igreja: luminosa garantia de seu destino de salvação, porque o Espírito do Ressuscitado cumprirá plenamente sua missão em todos nós, como fez nela, que já é aquilo que nós seremos.
Na segunda leitura da primeira carta de são Paulo aos Coríntios o apóstolo nos adverte de que assim como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos reviverão; pois Cristo ressuscitou dentre os mortos, como primícias dos que morreram! Portanto não deve haver motivo para preocupação se estivermos em Cristo.
O Dogma da Assunção de Nossa Senhora, proclamado pelo Papa Pio XII em 1950, nos mostra que Deus eleva os humildes e exalta aqueles que se colocam na posição de servos. Maria é servidora por excelência. É imagem da Igreja, povo de Deus a caminho do Reino definitivo. É mãe intercessora, que, junto do Pai, nos abençoa e protege. No mês vocacional, lembramos hoje a vida consagrada de religiosos e religiosas e de pessoas consagradas totalmente ao serviço de Deus e do próximo. Maria é modelo tanto da consagração a Deus como do serviço ao próximo.
Rezemos com o Salmista: Escutai, minha filha, olhai, ouvi, isto: “Esquecei vosso povo e a casa paterna! Que o rei se encante com vossa beleza! Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor! Entre cantos de festa e com grande alegria, ingressam, então, no palácio real”. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Apocalipse 11,19; 12,1. 3-6.10
Salmo: 44/45 
2ª. Leitura: 1 Coríntios 15,20-27
Evangelho: Lucas 1,39-56

Imprimir

Deixe uma resposta