Highslide for Wordpress Plugin
Ano C › 28/05/2016

9º Domingo do Tempo Comum

jesus_centuriao_nao_sou_dignoAmados irmãos e irmãs

“De fato, não há dois (evangelhos): há apenas pessoas que semeiam a confusão entre vós e querem perturbar o Evangelho de Cristo”. Na segunda leitura que melhor versículo bíblico que poderíamos usar para explicar a confusão de doutrinas e igrejas que brotam aos milhares no dia a dia e cada uma com contradições evidentes ao verdadeiro Evangelho deixado por Jesus Cristo Nosso Senhor.

Do Evangelho podemos tirar o ensinamento de que muitas vezes dizemos que não somos dignos, mas não completamos a frase do centurião, ou seja, pela graça de Deus basta que digamos uma palavra e tudo pode mudar em nossas vidas. Nós não podemos ter uma visão exclusivista da Salvação, ela é universal: Deus quer salvar a todos, quem é da comunidade e quem não é.

“Dize somente uma palavra, e o meu criado será curado”. Que fé. Ele sabia do poder de Jesus e assim se expressa: “Eu também sou homem sob autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz”. Em outras palavras o Centurião queria dizer é que sendo ele um homem comum tinha recebido autoridade para dar ordens a pessoas que foram colocadas sob sua autoridade, muito mais o Senhor Jesus que era o filho de Deus.

Tal foi a demonstração de fé do centurião que o Senhor Jesus se admirou e disse: “nem mesmo em Israel encontrei tanta fé”.
Na oração do centurião o que chama a atenção é a humildade; pois ele poderia chegar intimando Jesus a curar, ele era famoso, rico e tinha construído uma sinagoga; aliás, muitas pessoas hoje ousam desafiar Jesus a fazer milagres e prodígios.

Outro detalhe que não pode passar despercebido é que o centurião não pede nada para si ou para um filho seu, mas pede para um simples e humilde serviçal.

Não podemos esquecer de que este é Jesus é o mesmo a quem nós servimos hoje!

Todas as pessoas que procuravam Jesus com contrição de coração, ele nunca deixou de atender.

Olhemos hoje não para nossos criados, mas para nossos amigos, parentes e quanta gente pode estar adoecida, sem nem mais perceber. Há tanta gente assim, com a alma quebrada, sofrida, rejeitada. Tem muita gente que pode estar com enfermidades nos diversos aspectos da vida humana. Na vida conjugal, no relacionamento com os filhos, no trabalho, na escola ou na igreja.

Não importa, seja onde for com que distância estiver, basta uma palavra de Jesus. Lembre-se de que Jesus estava há mais ou menos sessenta quilômetros do servo do centurião e Ele o curou.

Hoje podemos repetir com o centurião: “Diga uma palavra Jesus e eu, minha família e toda minha casa seremos salvos”!
Diz o primeiro livro dos Reis : “ Quanto ao estrangeiro, que não pertence ao vosso povo de Israel, quando vier de uma terra longínqua por causa de vosso nome, porque se ouvirá falar da grandeza de vosso nome, da força de vossa mão e do poder de vosso braço, quando vier orar neste templo, ouvi-o do alto dos céus, do alto de vossa morada, ouvi-o e fazei tudo o que esse estrangeiro vos pedir”. No pós exílio havia esta dúvida e sem medo de errar poderíamos dizer que esta oração do rei Salomão é uma oração ecumênica e até porque não dizer inter religiosa. Deus não atenderia somente os seus; mas todo aquele que o invocar.

Rezemos com o Salmista: Ide, vós, por este mundo afora e proclamai o evangelho a todos! Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, povos todos, festejai-o! Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: 1 Reis 8,41-43
Salmo: 116/117
2ª. Leitura: Gálatas 1,1-2.6-10
Evangelho: Lucas 7,1-10

Imprimir

Deixe uma resposta