Highslide for Wordpress Plugin
Ano A › 12/11/2017

32º. DOMINGO COMUM

Amados irmãos e irmãs23131579_1484397551645465_7072603830675700726_n
“Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora”.
A Fé é pessoal e intransferível, não se vende e nem compra, não se pode dar, não se empresta e muito menos se troca. Nesta parábola o azeite que alimenta a chama funciona mais ou menos da mesma forma. Sem o azeite precioso da Palavra e da Eucaristia, que aumenta a nossa Fé a chama apaga e no caso da fé temos que alimentar-nos espiritualmente para que ela não acabe. Não dá para querer que outro alimente por mim e eu seja abastecido; é o famoso reza por mim, mas eu nunca rezo. Poderíamos comparar com o alimento do corpo; se uma pessoa come o jantar não tem como a outra que só olhou se sentir satisfeita e crescer. Imaginem alguém pedir a você: Jante por mim!
Como fazer para não desanimar e abandonar tudo? É preciso viver intensamente os valores do Reino, principalmente o amor, pois quando se ama a demora se torna momento de alegre expectativa. Quando estamos a esperar alguém que amamos embora o tempo pareça demorar a passar a expectativa da chegada do amado nos entretém de tal forma que quando menos esperamos e encontro acontece.
Imaginem se hoje fôssemos chamados a nossa páscoa com Cristo. Com certeza muitos sairiam desesperados querendo fazer tudo o que deveria fazer na rotina do dia a dia como perdoar os desafetos ou pedir perdão para quem tenhamos ofendido; abraçar e beijar os filhos ou os pais ou a esposa (o); procurar o padre para confessar, entregar o dízimo, apagar mensagens do facebook, do zap zap, enfim acertar tudo que estava errado e aí é claro que não vai haver tempo hábil.
Esta parábola nos leva a refletir sobre a vinda definitiva de Jesus da qual ninguém sabe nem a hora e nem o dia; mas neste dia quem estiver com a lâmpada vazia, porque não buscou o azeite que o próprio Senhor oferecia nas comunidades cristãs, vai ficar do lado de fora porque o Dono da Festa não o reconhecerá. E não haverá como conseguir, na última hora, aquilo que não se buscou e não se teve a vida inteira.
Comparando mais uma vez com a alimentação diria que não vai adiantar querer participar de 100 missas no último dia ou então achar que pode deixar em haver, seria como se você ficasse a vida inteira sem comer e no último dia da vida quisesse almoçar cem vezes, ou então almoçar três vezes hoje e ficar os próximos três dias sem almoço!
Na primeira leitura do Livro da Sabedoria vemos que é necessário buscar sabedoria que é dom incondicional de Deus para o homem. Esta sabedoria é a arte de bem viver e ser feliz, é saber conduzir a vida de maneira harmoniosa, equilibrada e ordenada. É não se fechar no egoísmo e autossuficiência, mas abrir o coração à graça que Deus oferece a cada um de seus filhos e filhas.
Na primeira carta aos tessalonicenses o apóstolo Paulo nos fala da esperança; ao cristão não é conveniente entristecer e preocupar-se excessivamente com o que acontece aos mortos; pois se cremos na ressurreição de Cristo temos que ter a certeza de que n’Ele também ressuscitaremos. Também é estabelecida como que uma precedência para aqueles que já morreram em relação àqueles que ainda estiverem vivos.
Rezemos com o salmista: Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água! Venho, assim, contemplar-vos no templo, para ver vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Sb 6,12-16
Salmo:62
2ª. Leitura: 1Ts 4,13-18
Evangelho: Mt 25,1-13

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *