Highslide for Wordpress Plugin
Ano B › 10/12/2017

2º. Domingo do Advento

Amados irmãos e irmãs24852546_1518613611557192_7641865808964548578_n
“Preparai o caminho do Senhor!”
Não devemos ficar a espera que os outros mudem as coisas por nós. Nós devemos iniciar a mudança. É muito comum ouvirmos reclamações da saúde, da educação, da economia; mas os que reclamam nada fazem para mudar, ficam sentados diante da TV ouvindo as desgraças que acontecem e só sabem murmurar.
Infelizmente este proceder invadiu a Igreja onde também temos aqueles que reclamam da música, da catequese, da limpeza da Igreja, mas só sabe ficar sentado e quando é chamado para ajudar a preparar este caminho, diz que não tem tempo ou que não sabe.
A figura de João Batista é bastante emblemática, mas ele não transferiu a responsabilidade. Assumiu o papel de precursor e denunciou as injustiças, bem como anunciou a chegada do Messias.
Ele não se intimidou diante dos poderosos e isto lhe custou a cabeça.
Hoje vemos no mundo que se diz globalizado com estruturas de poder político, religioso, econômico, etc. que sufocam o povo.
A estrutura de poder na Igreja de Jesus não pode copiar a estrutura destas instituições do mundo. O único poder que existe na Igreja é o Poder de Deus, nós somos servos e servos inúteis que como disse João sequer servimos para desamarrar as sandálias daquele que virá. Veja a questão do poder do marketing que infelizmente em muitas comunidades tem se tornado o “deus” de muitos católicos.
Confiam mais na propaganda do que na força do Espírito Santo e no poder da oração. Ao invés de orar preferem as intermináveis reuniões de como se deve fazer para cuidar do rebanho.
Não estamos aqui a dizer que não devemos usar o marketing, mas estamos sim a dizer que ele não deve ser colocado no lugar de Deus.
Preparar os caminhos do Senhor é tarefa de todos nós. O caminho se faz caminhando e enquanto caminhamos devemos nos despir de tudo que nos impede de acolher a proposta de Jesus.
O Advento é tempo de serena alegria, porque nele temos a certeza de que Deus não desiste apesar dos nossos erros e dificuldades.
A Boa Notícia deu sentido ao sofrimento pelo qual passava o povo cristão devido a perseguição de Roma e é esta mesma Boa Notícia de Jesus o Messias libertador que deve nos encorajar hoje.
Hoje para nós também é preciso preparar esses caminhos. É preciso que essa voz chegue até nos. Cada um tem muito para preparar no seu interior e também em diferentes mudanças da sua vida para que o Reino se faça presenta na nossa humanidade hoje.
João Batista é o mesmo que ‘pulou de alegria no ventre’ de sua mãe, quando Nossa Senhora a visitou. Ele foi o precursor de Jesus! No militarismo o precursor é aquele que vai a frente preparando não só os caminhos geográficos, mas também as pessoas. Ao vê-lo Jesus diz: “Não há na terra nenhum homem maior que João, no entanto o menor no Reino dos Céus é maior do que ele!”.
A nossa missão deve ser a mesma de João Batista! Seja qual for sua condição, você é chamado a preparar os caminhos do Senhor! É através de você, da sua vida que se cria um caminho, uma verdadeira estrada por onde Jesus passa para chegar até as pessoas!
Será que estamos sendo via para conduzir os irmãos ao Senhor?
Na primeira leitura da profecia de Isaías vemos que um profeta da época do Exílio garante aos exilados a fidelidade de Deus e a sua vontade de conduzir o Povo – através de um caminho fácil e direito – em direção à terra da liberdade e da paz. Ao Povo, por sua vez, é pedido que dispa os seus hábitos de comodismo, de egoísmo e de autossuficiência e aceite, outra vez, confrontar-se com os desafios de Deus. A mensagem de “consolação” anuncia que Deus não abandonou e nem esqueceu o povo que sofre. O profeta garante-nos que Deus não está alheio a nossa história. A Palavra interpela todos os homens que vivem acomodados e convida-os a correr riscos, mas caminhando com o Senhor. Advento é o tempo favorável para limparmos os caminhos da nossa vida para que Deus possa nascer em nós.
Na segunda leitura vemos que as comunidades primitivas estavam convencidas da iminência da vinda de Jesus para instaurar o Reino de Deus; porém o tempo passava e nada acontecia. Isto gerava decepção e eles se tornavam motivo de chacota na boca dos pagãos. Nesta carta nos é ensinado que o tempo de Deus é diferente do nosso e Ele é paciente e a demora é para dar a todos a oportunidade de se converterem e serem salvos. Pedro de Blois, arcediago na Inglaterra no Sermão para o Advento 3 nos fala das TRÊS VINDAS DE CRISTO
A primeira na carne, a segunda à alma, a terceira pelo juízo. A primeira ocorreu quando Ele se fez carne e foi visto na terra. Estamos agora na segunda vinda, desde que sejamos tais, que Ele possa vir até nós, porque Ele disse que, se o amarmos, virá a nós e fará em nós sua morada (Jo 14,23). No entanto, esta segunda vinda é para nós uma coisa envolvida em incerteza, porque só o Espírito de Deus conhece aqueles que pertencem a Deus. Quanto à terceira vinda, é certo que acontecerá e muito incerto quando acontecerá, pois nada é mais certo do que a morte e nada mais incerto do que o dia da morte. O primeiro advento foi, portanto humilde e escondido, o segundo é misterioso e cheio de amor, o terceiro será luminoso e terrível. Na sua primeira vinda, Cristo foi julgado pelos homens com injustiça; na segunda, faz-nos justiça pela sua graça; na última, vai julgar todas as coisas com equidade – Na primeira vinda Ele é o Cordeiro, na última o Leão e na segunda o Amigo cheio de ternura.
Rezemos com o Salmista: Escutemos o que diz o Senhor: Deus fala de paz ao seu povo e aos seus fiéis. A sua salvação está perto dos que O temem e a sua glória habitará na nossa terra. Amém

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Is 40,1-5.9-11
Salmo: 85
2ª. Leitura: 2Pd 3,8-14
Evangelho: Mc 1,1-8

Imprimir

Deixe uma resposta