Highslide for Wordpress Plugin
Ano A › 06/03/2017

1º. Domingo da Quaresma

17098573_1240072202744669_2598789795087218817_nAmados irmãos e irmãs
Resistir as tentações!
Aqui uma grande oportunidade para refletirmos sobre a diferença de tentação e provação. Provação pode vir de Deus quando o sofrimento ou a dor nos faz crescer espiritualmente e se aproximar um pouco mais de Deus. Já a tentação conforme vimos no Evangelho não vem de Deus, pois ela é convite ao pecado, convite para abandonarmos a fé e isto Deus jamais faria.
O Evangelho nos mostra que até o Filho de Deus foi tentado imagine nós pobres pecadores; mas Jesus nos mostrou armas com as quais podemos vencer as tentações e derrotar o inimigo e elas são: o jejum e a oração.
Outro detalhe importante é que somente nas tentações é que provamos nossa fé. O telhado de uma casa só será testa do e aprovado como bom se sobrevier a tempestade e ele não apresentar goteira.
Às vezes nos afastamos de algumas pessoas por medo do mal que elas possam representar, mas Jesus nos ensina que sua graça é maior.
Na primeira tentação (pedra em pão) nos é ensinado que não devemos tirar proveito de nossa condição: “Olha, deixa de ser bobo e use o seu poder”.
Na segunda (Dar poder e glória) nos é ensinado que não devemos querer dominar a tudo e a todos: “comer na palma da nossa mão”.
Na terceira tentação (Se és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo) nos é ensinado que não devemos exigir de Deus prova do seu amor “poderei me jogar do vigésimo andar de um prédio, que nada irá me acontecer porque Deus não irá permitir”.
As tentações fizeram parte da vida de Jesus e a maior delas foi a de abandonar a Cruz e Ele não abandonou e hoje somos chamados a também não abandonarmos a Cruz e seguir com ela até o fim.
A tentação é a de utilizar a sua condição de Filho de Deus em benefício próprio. Nós também devemos olhar para os dons que Deus nos deu e saber que devemos usá-lo em benefício da comunidade.
Durante nossa vida o deserto e a noite escura virão e nossa fé será tentada. Como iremos reagir? Olhemos para Jesus e Ele nos ajudará a jamais esquecer de que com o inimigo não podemos negociar. Nunca se sente a mesa para tratar de qualquer assunto pois ele é trapaceiro e enganador e com certeza achará uma brecha para nos fazer abandonar a fé.
Na leitura do livro do Gênesis podemos tirar 05 ensinamentos:
1. – Com o inimigo não se dialoga pois sempre iremos perder: Vemos o diálogo entre Eva e a serpente que com o diz a Palavra era o mais astuto de todos os animais. A mulher aceitou o diálogo e sem perceber foi ludibriada e ainda levou o marido junto.
2. – O pecado não está propriamente em comer o fruto, mas sim na desobediência. Imaginem uma mãe que guarda um bolo na geladeira e pede para o filho não mexer. Assim que a mãe vira as costas o filho vai na geladeira e come o bolo, ele não vai morrer e nem ficar doente por isto, mas a gravidade está na desobediência.
3. – Nunca devemos querer ser igual a Deus, pois foi justamente este o argumento usado pela serpente: “… Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão e vós sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”.
4. Por fim o pecado nos despe da dignidade de filhos de Deus e assim ficamos com medo e procuramos nos afastar do Senhor, é como se estivéssemos nú e por isto sentimos vergonha.
5. A serpente é a figura do inimigo de Deus e como sabe que nada pode fazer contra Deus procura prejudicar e destruir o que Deus mais ama que somos nós os seus filhos; mas assim como uma mulher (Eva) foi enganada e deu um sim ao pecado; Maria não se deixou enganar e deu seu SIM a Deus e por isto a inimizade eterna entre Maria figura de mulher) e a serpente.
Na carta de são Paulo aos Romanos vemos que o pecado individual por vezes tem consequências que atinge o coletivo, ou seja, assim como pela desobediência de um só homem todos foram constituídos pecadores; mas bastou a obediência não mais de um homem mais de um Deus feito homem para que todos fossem justificados.
Rezemos com o Salmista: Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado e apagai completamente a minha culpa! Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Gn 2,7-9; 3,1-7
Salmo:50
2ª. Leitura: Rm 5,12.17-19
Evangelho: Mateus 4,1-11

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *