Highslide for Wordpress Plugin
Ano C › 17/07/2016

16º. Domingo do Tempo Comum

13716218_1026591824092709_3705334413789123403_nAmados irmãos e irmãs

Jesus e estas mulheres maravilhosas! Igual Maria, igual a Marta, igual Teresa, igual… Assim já dizia a música do padre Zezinho.
“Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas; no entanto, uma só coisa é necessária; Maria escolheu a boa parte, que lhe não será tirada”.
Estas palavras de Jesus servem perfeitamente para os nossos agentes de pastoral dos tempos atuais que estão ficando como que loucos, tamanho o número de atividades e compromissos assumido, faltando-lhes o tempo para estar junto ao Senhor que é a melhor parte. Há comunidades que é uma correria só, com reunião prá cá, reunião prá lá, decisões e encontros, planejamento. Um ativismo louco.
Certa feita ouvindo o testemunho de um sacerdote cantor podia-se perceber a tristeza dele ao dizer que às vezes passava a semana inteira sem tempo para celebrar a Eucaristia.Temos também aqueles consagrados que não rezam a liturgia das horas por falta de tempo.
Acolher Cristo hóspede é principalmente “ouvi-lo”, pôr-se em atitude de receptividade, mais do que dar. Quem se preocupa mais com as coisas a dar do que com a pessoa com quem se comunica, fica distante.
Precisamos fugir da idéia de uma Igreja preocupada com o número de sacramentos, com eventos de arrecadação,com construção e por aí vai. Como é triste e deprimente ver agentes que faltam da missa dominical porque estão trabalhando na quermesse ou outro evento.
Um erro que não podemos cometer é achar que existe oposição entre ação e contemplação. Jesus não deu prioridade a contemplação sobre a ação. Foi Marta quem o recebeu: “… e uma mulher, de nome Marta, o recebeu em sua casa” (v. 38). Daí que é não só precipitado, mas uma má leitura do texto, desqualificá-la. Jesus aceita o convite de Marta.
O erro de Marta foi ter considerado que receber Jesus era simplesmente preparar a mesa; é o zelo acaba prejudicando. Quantos de nós ao ver um pobre já queremos dar lhe de comer,fazer tomar banho,barbear,etc.;quando na verdade as vezes sua maior necessidade seja ser ouvido ,abraçado e amado.
Não estamos diante de opções que se excluem, mas precisamos encontrar o equilíbrio entre ser Marta ou Maria;afinal as duas estão dentro de cada um de nós.
É preciso acolher o Mestre, antes de pôr-se em ação;portanto antes de qualquer ação precisamos da oração.
Na primeira leitura do livro do Gênesis vemos a hospitalidade de Abraão que recebe em sua casa os peregrinos; que era o próprio Deus trazendo a boa notícia; talvez nem ele e nem Sara entendesse muito bem o que estava acontecendo, mas trataram de receber bem a exemplo das irmãs de Lázaro onde cada uma tinha uma preocupação. Somos convidados a receber bem as pessoas, pois por mais que possamos não entender é o próprio Cristo que recebemos na pessoa daqueles que por vezes nos procuram.
Na segunda leitura da carta de são Paulo aos Colossenses o apóstolo fala da alegria de sofrer por Cristo, de suportar as dores e perseguições. Nas tribulações vamos nos conformando com O Cristo e é assim que todo homem se torna perfeito em Cristo.

Queremos na musica do padre Zezinho homenagear todas as mulheres da igreja: MULHER IGREJA
13654231_1026591384092753_8164354282573311141_nEu te vejo tão jovem, tão cheia de vida, tão mulher como as outras mulheres da terra, mas em ti qualquer coisa desperta atenção: Deste a Deus o teu coração (2X)
Igual Maria, igual a Marta, igual a Clara, igual Teresa; Igual Teresa, igual a Clara, Igual Maria Mãe de Jesus!
Eu te vejo tão frágil, tão forte de graça, tão mulher como as outras mulheres da terra; mas o mundo te olha sem compreender, Deste a Deus teu corpo e teu ser. (2X)
Refrão
Eu não sei quem tu és, nem recordo o teu nome, És mulher, és irmã, és amor, és Igreja. E se em ti qualquer coisa desperta atenção, seja Deus em teu coração. (2X)
Refrão
Eu queria pedir neste canto que eu canto, pra lembrar que tu és feminino da Igreja. Por favor, não te canses de tal decisão: Fique em Deus o teu coração (2X).

Rezemos com o Salmista: Senhor, quem morará em vossa casa? É aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente; que pensa a verdade no seu íntimo e não solta em calúnias sua língua. Que em nada prejudica o seu irmão. Não empresta o seu dinheiro com usura nem se deixa subornar contra o inocente. Jamais vacilará quem vive assim! Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Gênesis 18,1-10
Salmo: 14/15
2ª. Leitura: Colossenses 1,24-28
Evangelho: Lucas 10, 38-42

Imprimir

Deixe uma resposta