Highslide for Wordpress Plugin
Ano C › 18/06/2016

12º. Domingo – Tempo Comum

13413162_1009112415840650_9045134986628345820_nAmados irmãos e irmãs

Qual resposta você daria a Jesus se Ele te perguntasse; quem sou eu? Talvez você repetisse as palavras de Pedro e dissesse: “ Tu és o Cristo de Deus!

Mas considerando o que nos ensina a segunda leitura de hoje vamos inverter a pergunta: Quem é você?

Será que pelo batismo você poderia responder: Eu sou filho,eu sou filha do Deus vivo! Eu sou o Cristo (ungido) de Deus!

Talvez pela glória de Cristo Jesus pudéssemos responder que sim, mas ao olhar a sequência das palavras de Jesus fica difícil concordar em repetir as mesmas palavras de Jesus ou seja: Teremos também que dizer “É necessário que eu como filho(a) do Deus vivo padeça muitas coisas, seja rejeitado pelos anciãos, pelos príncipes dos sacerdotes e pelos escribas. É necessário que eu seja levado à morte…”

O Jesus que se apresenta diante dos discípulos e diante de todos nós, neste evangelho, não é um Jesus de muito sucesso e prosperidade; afinal Ele fala de sofrimento, padecimento, rejeição e morte; inadimissíveis para a cultura pós-moderna. Será que não existe outra opção? Um modo mais tranquilo de se viver a fé e frequentar a comunidade, sem necessidade de encarar uma “cruz” no meio do caminho?

“… quem quiser salvar sua vida a perderá, e quem perder sua vida por causa de mim a salvará” Estas palavras de Jesus nos ensinam que a salvação é comunitária;não existe salvação sem a comunidade; portanto aquele que se esquece de si e se doa totalmente a comunidade este sim se salvará.

O profeta Zacarias nos fala daquele que virá e para o qual todos os olhos se voltarão. Ele será traspassado e de seu coração jorrará uma fonte que apagará todos os pecados! Ele é filho único e primogênito. O profeta só pode estar se referindo a Jesus; pois eles; os nossos antepassados ouviram a promessa; mas nós a vivemos, pois Cristo está no meio de nós.

Na leitura da carta de são Paulo aos Gálatas vemos que pelo batismo somos revestidos de Cristo e aí não mais há diferença entre nós; pois todos somos um em Cristo Jesus. Diz o apóstolo: O que vale não é mais ser judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem nem mulher e hoje diríamos não importa se és da RCC, do ECC, dos Cursilhos, do apostolado, da legião, tradicionalistas ou progressistas; pois todos vós sois um só, em Jesus Cristo e sendo de Cristo, sois então descendência de Abraão, herdeiros segundo a promessa.

Rezemos com o Salmista: Sois, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minha alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja. Como terra sedenta e sem água, venho, assim, contemplar-vos no templo, para ver vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

1ª. Leitura: Zacarias 12,10-11;13,1
Salmo:62/63
2ª. Leitura: Gálatas 3,26-29
Evangelho: Lucas 9,18-24

Imprimir

Deixe uma resposta