Highslide for Wordpress Plugin
Ano B › 10/06/2018

10º. DOMINGO DO TEMPO COMUM

Amados irmãos e irmãs
Vocês tem parte com eles!
Mais uma acusação contra Jesus e desta vez a mais grave, ou seja, estaria Ele possuído pelo demônio ou teria parceria com o mal para poder expulsar o mal. Eis a gravidade deste pecado!
Fico a imaginar a seguinte cena: Em um sequestro com reféns e criminosos armados até os dentes as negociações não avançam e então aparece um padre que se oferece para entrar e conversar com os criminosos. O padre entra e minutos depois saem de braços dados com os criminosos que são presos e as vítimas libertadas completamente ilesas. Logo vão dizer que o padre só conseguiu convencer os criminosos porque tinha parte com eles. É isso mesmo meus irmãos se aconteceu com Jesus porque não aconteceria conosco?
Nós da comunidade na graça de Deus convivemos com muitas pessoas que às vezes estão envolvidas com drogas e prostituição e muitas vezes já fomos acusados de estar acobertando “vagabundos” de sermos coniventes com a prostituição e o homossexualismo e por aí vai quando na verdade Jesus e só Ele sabe que na verdade nós somente amamos estas pessoas. Eles estavam contra Jesus então qualquer coisa que Ele fizesse eles iriam encontrar defeito.
Às vezes em nossas comunidades isto também acontece quando muitos são contrários a uma idéia ou projeto bom só porque veio de um desafeto. É bom que em nossas comunidades não haja unanimidade, pois ela além de burra é perigosa. A oposição é algo sadio e saudável, pois quando temos opositores estes geralmente vivem a nos fiscalizar e apontar nossos erros o que nos possibilita a correção.
Neste Evangelho surge a expressão que tanta polêmica causa até hoje: O que é pecar contra o Espirito Santo? De maneira simples diríamos que é não reconhecer Jesus negando sua obra de Salvação. Blasfêmia contra o Espírito Santo é fechamento ao perdão que Jesus oferece. Daí que não é Deus quem não perdoa, mas a pessoa que rejeita o perdão. É romper com Deus e levar a vida de seu jeito ou pior ainda colocar se a serviço do mal. Nos dias atuais é bom perguntar quem está dirigindo sinfonia infernal que colocou o mundo para dançar? É Satanás, príncipe deste mundo como Jesus o chamou. Quem não foi tentado pelo demônio, seja na carne, seja no espírito? Todos nós já fomos tentados por esta força malévola, por este ser misterioso horrível, para desobedecermos a Deus.
Quando Jesus lança a pergunta: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos”? Cremos que aqui todos acabaram de concluir que Ele realmente estava louco, mas ao responder a pergunta que Ele mesmo fizera deu uma verdadeira catequese: “Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. Diante desta colocação muitos se preocupam com a resposta de Jesus pensando que ela teria sido ofensiva a Maria; no entanto Jesus nem se preocupou com isto, pois Ele sabia que Maria sua mãe biológica foi a primeira e a que melhor realizou a vontade de Deus. Com certeza você pertence a vários grupos diferentes dentre os quais se podem destacar: os amigos do trabalho, os amigos da escola, os amigos do lazer, os amigos da Igreja e por fim os amigos que também são parentes consanguíneos. Qual deles é o mais importante? Veja que sem falarmos das coisas de Deus para muitos o grupo familiar não estará em primeiro lugar. Tem parente consanguíneo que você fica anos e anos sem ver ao passo que o colega de escola ou de trabalho você vê todo dia e nutre por ele um grau de amizade ainda maior. Quantas e quantas vezes nos momentos difíceis de doença, morte, desemprego ou aperto financeiro os familiares até te evitam ao passo que amigos do trabalho ou irmãos da Igreja é que virão em seu socorro. A resposta de Jesus está em outro nível, ou seja, não importa em quais grupos você e seus amigos estejam, aqui no mundo, pois o importante é que todos possam fazer parte do grupo daqueles que fazem a vontade do Pai que está no céu.
Fazer a vontade de Deus é “conditio sine qua non” que Jesus nos apresenta para sermos seus irmãos e irmãs, membros da sua família.
Na primeira leitura do livro de Gênesis vemos que Adão confessa que teve medo, porque estava nu; ou seja, o pecado nos despe da dignidade de filhos de Deus e assim ficamos com medo e procuramos nos afastar do Senhor. A presença de Deus incomoda e coloca ruídos na consciência do pecador. A serpente é a figura do inimigo de Deus e como sabe que nada pode fazer contra Deus procura prejudicar e destruir o que Deus mais ama que somos nós os seus filhos. O demônio lhes inoculou o veneno da soberba e da rebeldia, para ser autônomos e não depender de ninguém. Satanás lhes prometeu que “seriam como deuses”, isto é, sem ter que prestar satisfação para ninguém, ser autossuficientes, donos de si mesmos. Não nos esqueçamos de que Deus criou os homens para se ajudarem ao passo que o pecado, os desune e afasta uns dos outros tornando inimigos. Entretanto é preciso ressaltar que se por uma mulher (Eva) o pecado entrou no mundo; por outra mulher chamada Maria que não se deixou enganar houve um SIM a Deus e assim a salvação veio a nós.
Na segunda leitura da segunda carta aos coríntios Paulo realça que, para o cristão, viver só faz sentido na certeza da ressurreição. Nós nunca não desanimamos, apesar do nosso homem exterior parecer arruinado e destruído, certeza temos que o homem interior se renova no Espírito daquele que nos amou por primeiro. As aflições do tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós se revelará por Cristo Jesus. A tenda em que moramos neste mundo é passageira, nesta terra somos estrangeiros, pois nossa verdadeira pátria é o céu.

Rezemos com o salmista: No Senhor ponho a minha esperança, espero em sua palavra. A minh’alma espera no Senhor mais que o vigia pela aurora. Espere Israel pelo Senhor, mais que o vigia pela aurora! Pois no Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção. Ele vem libertar a Israel de toda a sua culpa. Amém.

Reflexão feita pelo Diácono Irmão Francisco 
Fundador da Comunidade Missionária Divina Misericórdia

Primeira Leitura: Gn 3,9-15
Salmo: 129
Segunda Leitura: 2 Cor 4,13-18-5,1 
Evangelho: Marcos 3,20 – 35

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *